SMetal

Imprensa

10 de agosto

Trabalhadores dos transportes aprovam paralisação no Dia do Basta

Segunda-feira, 06 de Agosto de 2018 - 14:56 - Atualizado em 13/08/2018 15:57
Viviane Barbosa da Redação da CNTTL com Erica Aragão da CUT Nacional

transporte, cnttl,, INO SANTOS
Dirigentes dos modais de transportes da CNTTL-CUT/CTB aprovam paralisação no dia 10 de agosto Leia mais sobre esse assunto em https://www.rodoviariosorocaba.org.br/imprensa/trabalhadores-dos-transportes-aprovam-paralisacao-no-dia-do-basta-em-todo-paINO SANTOS
Os trabalhadores da base da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística da CUT-CTB (CNTTL) aprovaram por unanimidade que irão realizar paralisações a partir da meia noite do dia 10 de agosto nas principais capitais do País.

Essa decisão foi aprovada, em reunião da Direção Nacional da CNTTL realizada nesta sexta-feira (3) em São Paulo, pelas lideranças dos sindicatos e federações dos modais aéreo, rodoviário, condutores, portuário, ferroviário, agentes de trânsito dos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Rio do Grande do Sul, Rio de Janeiro e em São Paulo, na capital e Guarulhos, Sorocaba, ABC paulista e Vale do Paraíba.

O “Dia do Basta” é organizado pela CUT e demais centrais sindicais e chamará atenção da população sobre os impactos nefastos da política entreguista, de retrocesso e de retirada de direitos do governo golpista de Temer, que levaram o Brasil a bater o recorde vergonhoso de desempregados e trabalhadores fazendo bicos. 

O presidente da CNTTL, Paulo João Estausia, Paulinho, disse que o Brasil está vivendo uma das piores conjunturas da sua história, com a retirada de direitos autorizada pela Reforma Trabalhista, com a terceirização irrestrita nos setores, com a criação de contratos intermitentes e agora o próximo ataque é a Reforma da Previdência, que se for aprovada impeirá que as pessoas se aposentem.

“Nós do ramo dos transportes estamos fazendo a nossa parte. Temos muitas dificuldades, por sermos um serviço essencial e público. As últimas paralisações que fizemos recebemos multas milionárias das empresas, além dos ataques do Ministério Público. Mas somos estratégicos e fundamentais para essa mobilização nacional do dia 10 de agosto, que é necessária para reverter ou estancar esse grande retrocesso que estamos vivendo”, ressalta Paulinho.

Para o Secretário-Geral da CUT São Paulo, João Cayres, a decisão de paralisação e mobilização do setor de transportes é muito importante para o dia 10. “A decisão da categoria que é tão estratégica para a central demonstra o espírito combativo e de luta como tem a CUT. Só na luta e juntos é que conseguiremos mudar os rumos deste País”, afirmou João. 

Mobilização ampliada

Paulinho fez um apelo às entidades filiadas à Confederação que cumpram rigorosamente o que foi aprovado na reunião da CNTTL e façam paralisações nas suas bases até às 8h da manhã e depois se somem às demais ações e protestos organizados pelas CUTs e movimentos sociais nas capitais e praças públicas. 
“Os trabalhadores entendem os efeitos do retrocesso e estão sofrendo com isso. É importante convocar as demais categorias para participarem com a gente. Temos que convocar também os excluídos, os desempregados, os sem teto e os movimentos sociais para essa luta”, frisa.

O presidente da CNTTL destaca que é importante integrar uma luta única, não só apenas no dia 10 de agosto, mas de forma contínua e com agendas organizadas, para tentar reverter essa situação nefasta no Brasil. 

O presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNU) e Secretário- adjunto de Organização e Política Sindical da CUT, Eduardo Guterra, disse que os portuários também vão participar do dia 10.  "Os portuários não vão deixar batido, vamos atender a orientação da CUT e da CNTTL e fazer paralisações e mobilizações em todo Brasil. Precisamos dizer basta e para isso é preciso unidade da classe trabalhadora pra exigir respeito aos nossos direitos, barrar o processo em curso e garantir a democracia", afirmou Guterra.

Basta de retrocessos

O presidente do Sindicato dos Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro), Junior Rodoviário, disse que os trabalhadores e todo cidadão brasileiro e brasileira deve protestar no dia 10 de agosto.
“Esse ano foi difícil de negociar nas campanhas salariais por causa da reforma trabalhista. Então basta deste abuso que os patrões fizeram. Contra a retirada de direitos e muitas outras coisas que prejudicam a classe trabalhadora vamos parar na próxima sexta-feira aqui em Natal”, ressalta. 

Para o presidente do Sindviários (Sindicato dos Trabalhadores no Sistema de Operação, Sinalização, Fiscalização Manutenção e Planejamento Viário e Urbano do Estado de São Paulo), Reno Ale, o governo golpista de Temer vem regredindo no tratamento com o trabalhador. “Estamos próximo à escravidão. Esse tratamento precisa ser alterado e isso só se altera com política, só chamando o povo para rua”, frisa.

O presidente Federação Norte e Nordeste dos Trabalhadores em Transporte, José de Souza Almeida, destaca que o dia 10 de agosto é importante não só para o transporte, mas para todos os brasileiros. “Nós faremos um grande movimento nesta data para resistir à estes retrocessos”, concluiu.

Deixe seu Recado