SMetal

Imprensa

Sorocaba

Trabalhadores da Sidor podem entrar em greve devido demissão de lesionada

Quinta-feira, 07 de Maio de 2015 - Atualizado em 27/12/2016 13:52
Imprensa SMetal

,
Se a funcionária lesionada demitida por justa causa não for reintegrada à empresa até amanhã, 8, na segunda, 11, os trabalhadores entrarão em greve
Contra a demissão de uma funcionária lesionada por justa causa, trabalhadores da Sidor aprovaram em assembleia nesta quinta-feira, dia 7, o início de uma possível greve na segunda-feira, dia 11. Os metalúrgicos reivindicam que a funcionária demitida seja reintegrada à empresa até esta sexta-feira, dia 8.

Cerca de 30 trabalhadores participaram da assembleia de aprovação - liderada pelos diretores do SMetal - que teve início às 6h e durou aproximadamente 40 min.

Entenda o caso

A funcionária Vanessa de Oliveira Ramos, 32, que no dia 16 de agosto deste ano, completaria quatro anos na empresa, informou à imprensa SMetal que havia sofrido um acidente de moto, ficando 22 dias afastada do trabalho, voltando ao trabalhar no dia 5 de abril e sendo desligada por justa causa no dia 25 do mesmo mês.

"No acidente eu sofri muitas escoriações, saiu até o couro do meu pé, então quando eu voltei para o trabalho não conseguia usar botas." Afirma Vanessa.

Segundo informações do diretor sindical Silvio Luiz Ferreira da Silva, a empresa alega que a funcionária foi demitida por insubordinação, porém não há nenhum registro de advertência.

LER/Dort

Vanessa diz que adquiriu tendinite na empresa, e por esse motivo precisou trocar de setor, onde o problema se agravou "eu trabalhava no setor de usinagem e fazia muito movimento repetitivo, por isso adquiri tendinite no punho e no ombro direito, sendo assim, foi efetuado a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e fui transferida para o setor de retífica cilíndrica, onde adquiri tendinite no ombro, cotovelo e uma lesão no joelho, ambos no lado esquerdo".

A mesma também alega que na empresa tem outra funcionária que possui problemas de lesão e trabalha sentada, e ela (Vanessa) trabalha em pé, por este motivo Vanessa questionou o supervisor, que passou a praticar assédio moral contra a mesma.

O sindicato está acompanhando o caso e se colocou à disposição da funcionária para qualquer amparo que a mesma precise. A Sidor fica na zona industrial da cidade e tem 102 funcionários, a empresa produz molas, peças para máquinas e usinagem.

Deixe seu Recado