SMetal

Imprensa

Reposição de peças

Toyota usa helicópteros para conseguir lançar o Yaris no mês que vem

Sexta-feira, 25 de Maio de 2018 - 11:44 - Atualizado em 04/06/2018 09:15
Imprensa SMetal

toyota, , Foguinho/Imprensa SMetal
Na quinta-feira, 24, 100% da produção da Toyota Sorocaba ficou parada; nesta sexta-feira, 25, apenas o primeiro turno irá funcionarFoguinho/Imprensa SMetal
A planta de Sorocaba da montadora Toyota utilizou seis helicópteros na quinta-feira, 24, para receber peças e rodar o primeiro turno da produção nesta sexta-feira, dia 25. Os metalúrgicos do segundo turno não trabalharão. Os trabalhadores retornam à fábrica na segunda-feira, mas ainda é uma incógnita se haverá produção.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) Carlos Alberto Rodrigues da Silva (Carlão), que é coordenador do Comitê Sindical de Empresa (CSE) da Toyota, o uso dos helicópteros foi uma alternativa para a montadora viabilizar o lançamento do modelo novo, o Yaris, no mês que vem.

Na quinta-feira, 24, 100% da produção da Toyota Sorocaba ficou parada. Nas sistemistas da montadora a situação também está crítica. A Kanjiko foi uma das primeiras indústrias da cidade a anunciar a parada na produção por falta de matéria-prima. Na quarta-feira os metalúrgicos da sistemista ficaram em casa.

Nesta sexta, 25, a fábrica Sherdel está parada e a CNH/Case está sem produção em alguns setores. Scórpios e Spica estão paradas desde quinta.

Em nota divulgada a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) afirma que a política do governo golpista de Temer, de privilegiar o capital financeiro, não está nenhum pouco preocupada com o desenvolvimento industrial e impõe medidas que dificultam a vida dos trabalhadores do país.

“Enquanto, uma elite econômica é privilegiada com lucros abusivos, os trabalhadores enfrentam filas enormes atrás de emprego, de atendimento na saúde, e agora, atrás de combustível”.

O presidente do SMetal, Leandro Soares, ressalta que “essa escalada de aumentos nos combustíveis, no gás de cozinha, na energia, no custo de vida da população, só demonstra o fracasso para o Brasil de uma política neoliberal, defendida por MDB e PSDB, que faz com que o mercado e não o Estado regule os preços”.

Trabalhadores sem ônibus

As empresas Consor e STU, do Sistema de Transporte Coletivo de Sorocaba, estão rodando apenas em horários de pico, nesta sexta-feira, 25. Das 5h às 8h e das 17h às 19h, devido a falta de combustível nas garagens, ocasionada pela mobilização nacional dos caminhoneiros contra o aumento do diesel.

Deixe seu Recado