SMetal

Imprensa

Lay off

Suspensão do contrato negociada pelo SMetal é aprovada na CNH Case

Acordo abrange 15 metalúrgicos que pertencem ao grupo de risco da Covid-19 e garante pagamento do valor igual ou próximo ao salário líquido, além de benefícios; medida foi aprovada com 93,33% dos votos a favor

Sábado, 13 de Fevereiro de 2021 - 14:05
Imprensa SMetal

case, lay off, suspensão, contrato, fachada, Arquivo/Foguinho Imprensa SMetal
Acordo de lay off abrange 15 trabalhadores da CNH Case que fazem parte do grupo de risco da Covid-19Arquivo/Foguinho Imprensa SMetal
Para garantir a manutenção do salário, emprego e saúde dos trabalhadores que fazem parte do grupo de risco da Covid-19 na CNH Case, o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) negociou um acordo de suspensão do contrato de trabalho (lay off), que foi aprovado em assembleia eletrônica, disponível entre os dias 12 e 13 de fevereiro.

O acordo abrange 15 funcionários da empresa - 14 deles (93,33%) foram favoráveis à proposta de lay off e apenas 1 (6,67%) preferiu se abster na decisão.

Segundo o secretário-geral da entidade, Silvio Ferreira, com a extinção do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEPER) pago pelo governo federal - previsto anteriormente na Lei 14.020/2020, antiga MP 936 – o Sindicato buscou alternativas para manter os trabalhadores do grupo de risco seguros, com direito a salários e emprego.

A proposta negociada pelo SMetal tem como base o artigo 476-A da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e garante o pagamento do valor igual ou próximo ao salário líquido do trabalhador, além da manutenção dos benefícios durante a vigência do acordo.

Durante as negociações, o Sindicato garantiu ainda que, caso o governo federal não libere o valor do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), a empresa fica responsável pelo pagamento integral previsto no acordo.

Além disso, o membro do Comitê Sindical da CNH, Luiz Otávio Ferreira, explica que o tempo da suspensão não será considerado para fins de desconto no período aquisitivo das férias nem de concessão do 13º salário. O novo acordo começa a valer a partir de 1º de março.

“A pandemia da Covid-19 ainda não acabou, mas infelizmente o governo parece que não entendeu isso e decidiu não renovar a única ferramenta criada para proteger o trabalhador. Por isso, continuamos empenhados em manter os metalúrgicos com emprego, salário e em segurança, seja na fábrica, com a cobrança de medidas de proteção, ou em casa, para funcionários que correm mais riscos caso contraiam o vírus”, enfatiza Luiz.

Grupo de risco da Covid-19

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), fazem parte do grupo de risco pessoas com doenças crônicas como diabetes, hipertensão, câncer e problemas respiratórios, além de idosos e gestantes.

 

Deixe seu Recado