SMetal

Imprensa

Palestra Amaso

Sorocaba tem 20 novos casos de HIV por mês

Cerca de 70% dos novos diagnósticos estão na faixa etária de 15 a 34 anos. “Isso significa que essas pessoas têm relações sexuais muito cedo e sem proteção” 

Quarta-feira, 07 de Agosto de 2019 - 15:51 - Atualizado em 08/08/2019 14:58
com informações Assessoria/Amaso

, Foguinho/ Imprensa SMetal
A coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids, Helena Solla, falou sobre a importância da prevenção no Café da Manhã da AmasoFoguinho/ Imprensa SMetal
A falta de prevenção, sobretudo no uso de preservativo durante as relações sexuais, faz com que o número de casos de HIV em Sorocaba aumente a cada dia. Atualmente, 20 novos diagnósticos são registrados, por mês, pelo CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento), órgão municipal que oferece testes rápidos e de graça para HIV, sífilis, hepatite B e hepatite C, bem outras DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Os dados são do Programa Municipal DST/Aids e abordados pela coordenadora do programa, Helena Solla, que esteve na Amaso, na manhã de 6 de agosto, participando do Projeto Café da Manhã com os Aposentados, realizado sempre às primeiras terças-feiras de cada mês.

Ainda de acordo com Helena, o alto número de casos de Aids indica que a transmissão ainda ocorre na população madura (acima de 50 anos). Além disso, cerca de 70% dos novos diagnósticos estão na faixa etária de 15 a 34 anos. “Isso significa que essas pessoas têm relações sexuais muito cedo e sem proteção”, explica a coordenadora do Programa Municipal DST/Aids, Helena Solla.

Conforme Helena Solla, aproximadamente 50 sorocabanos morrem de aids por ano. Ela explica que não há cura para a doença, mas existe tratamento e o Centro de Testagem e Aconselhamento oferece de graça. “Registramos, recentemente, um caso de transmissão do vírus HIV pela amamentação e isso nos deixou muito chocados, tanto a mim como a toda equipe do CTA”, lembra.

A palestra de Helena Solla durou cerca de uma hora e meia. No fim, ela fez um alerta: “Precisamos falar sobre as doenças sexualmente transmissíveis. Hoje existe um silêncio sobre este assunto que, se não for quebrado, tende a piorar o problema”. Por isso, ela pediu que as orientações com relação à forma de prevenção e o contágio da doença sejam disseminadas entre familiares e amigos.

HISTÓRIA REAL

No Café da Manhã com os Aposentados, Helena Solla trouxe a história de um senhor de 55 anos (o nome ela não revelou) que havia se separado há três meses, depois de 30 anos de casado. Este homem passou a se relacionar com várias parceiras e ficou preocupado com um possível contágio de DST. Assim, procurou CTA.

O QUE SÃO AS DST´s

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, as DST são transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada e, geralmente, se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. As mais conhecidas são gonorreia e sífilis.

Algumas DST podem não apresentar sintomas, tanto no homem quanto na mulher. E isso requer que, se fizerem sexo sem camisinha, procurem o serviço de saúde para consultas com um profissional de saúde periodicamente. Essas doenças, quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves, como infertilidades, câncer e até a morte.

Usar preservativos em todas as relações sexuais (oral, anal e vaginal) é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão das DST, em especial do vírus da Aids ou HIV. Outras formas de infecção podem ocorrer pelo compartilhamento de seringas e agulhas, principalmente no uso de drogas injetáveis.

A Aids e a Sífilis também podem ser transmitidas da mãe infectada, sem tratamento, para o bebê durante a gravidez ou parto. E, no caso da Aids, também na amamentação.

O tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas doenças. O atendimento e ao tratamento são de graça nos serviços de saúde do SUS.

SERVIÇO

Em Sorocaba, o Centro de Testagem e Aconselhamento fica na Rua Manoel Lopes, 220, Vila Hortência, e funciona das 8h às 15h30, de segunda a sexta-feira. O telefone é o (15) 3234-8818. Já em Votorantim os testes e tratamentos são oferecidos, de graça, pelo SAE (Serviço de Atendimento Especializado) – Rua José Alarcon, 50, Jardim Icatu –, de segunda a sexta, das 7h às 16h. Para mais informações: (15) 3343-2740.

Deixe seu Recado