SMetal

Imprensa

Educação

Sorocaba ainda não aderiu a programas federais de qualificação profissional

Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010 - Atualizado em 27/12/2016 11:52
Folha Metalúrgica

,
Iara Bernardi é representante do MEC para o estado de São Paulo

O governo federal dispõe de três programas para formação e qualificação de trabalhadores, mas a prefeitura de Sorocaba não aderiu a nenhum deles. Os cursos oferecidos são gratuitos e pelo menos cinco cidades da região já usufruem de verbas e estruturas federais, enquanto Sorocaba abre mão dessas oportunidades.

Os programas federais e as formas de Sorocaba aderir a eles serão tema de uma audiência pública no dia 22, às 19h, na Câmara Municipal. A iniciativa é do vereador Izídio (PT).

A ex-deputada federal e atual representante do Ministério da Educação (MEC) no estado de São Paulo, Iara Bernardi, explica que a principal diferença dos cursos federais, em comparação com outros cursos de capacitação, é que, além de serem gratuitos, oferecem aos trabalhadores formação regular até o ensino médio e cursos de qualificação nas mais diversas áreas, como indústria, comércio, serviços e agricultura.

 


Escolas federais

Um dos programas do governo Lula instala Institutos Federais de Educação Tecnológica (IFE), conhecidos como escolas técnicas federais. Os municípios de Salto, Boituva, São Roque, Capivari e Itapetininga já possuem suas escolas federais. Sorocaba ainda não.

Somente nos IFEs o governo Lula vai investir R$ 1,1 bilhão e abrir 190 mil vagas até 2011. Além desse, o governo também oferece os programas Eja-FIC e Brasil Profissionalizado (veja quadro).

"A audiência pública do dia 22 é um passo importante para sensibilizar o poder público municipal e outros setores que podem contribuir para credenciar Sorocaba a esses programas", afirma Iara, que foi uma das articuladoras da instalação da Ufscar na cidade.

Deixe seu Recado