SMetal

Imprensa

Formação de formadores

SMetal sedia curso de formação em parceria com Alemanha

Quinta-feira, 03 de Agosto de 2017 - 11:48 - Atualizado em 04/08/2017 17:21
Imprensa SMetal

, Foguinho/Imprensa SMetal
Alex Sgreccia, coordenador da secretaria geral da CUT.Foguinho/Imprensa SMetal
O SMetal sediou, nesta terça-feira, 1, uma atividade do curso de Formação de Formadores, com seis dirigentes da base do sindicato e o sociólogo, coordenador da formação política do SMetal e coordenador da secretaria geral da CUT, Alex Sgreccia.

O curso é organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), em parceria com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a Confederação Nacional de Metalúrgicos (CNM/CUT) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Conta com a colaboração do IG Metall (metalúrgicos da Alemanha), que já realizou duas etapas do curso no Brasil.

De acordo com Sgreccia, o curso é dividido em duas turmas, uma no Brasil, com dirigentes metalúrgicos do ABC e Sorocaba; e outra na Alemanha. As etapas acontecem de forma simultânea e a última será no país germânico, de 6 a 10 de novembro, com as duas turmas.

Para Silvio Ferreira, secretário geral do SMetal, o curso ajuda no intercâmbio de conhecimento e lutas entre brasileiros e alemães, que tem muitas diferenças, mas também similaridades. “A construção desse curso fortalece o diálogo com os alemães, que temos feito através de outras atividades também”.

O objetivo dos “intermódulos” é retomar o que já foi tratado e preparar os participantes para a próxima etapa. Neste encontro, os participantes caracterizaram a estrutura sindical brasileira, tanto do ponto de vista da organização sindical, quanto da negociação coletiva.

“Hoje, com a reforma trabalhista em pauta, ao invés de fazer o modelo de legislação trabalhista de 1943 avançar, recua”, ressalta Alexandre Sgreccia, que conduziu a aula.

Para Sgreccia, no momento de regressão que vivem os trabalhadores, é necessário resistir. “E a formação vem para isso. A CUT nasceu lutando contra a legislação que era contrária aos interesses dos trabalhadores e não aceitamos a reforma trabalhista e vamos lutar contra ela”.

Os próximos módulos irão tratar sobre a realidade da Alemanha, como a história do movimento sindical do país e também a relação dos metalúrgicos nas empresas alemãs que estão no Brasil.

Para Priscila Silva, diretora do SMetal e participante do curso, a formação política é importante para dialogar mais com os trabalhadores na base sobre como nos organizamos para lutar por mais direitos e contra as reformas.

Deixe seu Recado