SMetal

Imprensa

Acordo individual

SMetal protesta contra aplicação da Reforma Trabalhista na De Nora

Com o acordo, o trabalhador abre mão do FGTS completo, podendo movimentar até 80% do depositado; a multa, que é de 40%, ele recebe apenas 20%; e perde o direito de receber o benefício do seguro desemprego

Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018 - 10:02 - Atualizado em 24/01/2018 10:23
Imprensa SMetal

de, nora, , Foguinho/Imprensa SMetal
A De Nora fica na Zona Industrial de Sorocaba, fabrica eletrodos e sistemas eletroquímicos e tem 85 trabalhadoresFoguinho/Imprensa SMetal
O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) realizou uma assembleia nesta terça-feira, dia 23, com os trabalhadores da De Nora em protesto à demissão de um metalúrgico baseado em um acordo individual, aplicando a Reforma Trabalhista.

Segundo o dirigente sindical Alessandro Marcelo, a diretoria do SMetal foi surpreendida na segunda-feira, dia 22, com a tentativa de homologação do trabalhador baseada na “demissão por mútuo acordo”, implementada com Reforma Trabalhista (artigo 484-a da CLT), que é realizada diretamente entre o trabalhador e empresa.

“Fazendo esse acordo, o trabalhador abre mão do Fundo de Garantia (FGTS) completo, podendo movimentar até 80% do depositado. A multa, que é de 40%, ele recebe apenas 20%, e perde o direito de receber o benefício do seguro desemprego”, explica.

Uma representante do RH da De Nora informou que o acordo foi feito a pedido do trabalhador, mas Marcelo esclarece que o SMetal não reconhece a mudança na legislação promovida pelo governo Temer. “Nós, do Sindicato, estamos sempre abertos ao diálogo, em pautar, negociar e achar melhor saída, desde que não retire direitos dos trabalhadores”, disse.

Durante a assembleia, o diretor de organização do Sindicato, Izidio de Brito, reafirmou o compromisso da entidade com os trabalhadores. “Na Campanha Salarial do ano passado deixamos muito claro que estamos abertos a conversar sobre cláusulas específicas da Reforma”.

E completou: “Nos colocamos sempre à disposição de juntos analisarmos os dados da fábrica, o faturamento, a média salarial, a rotatividade e ver a melhor possibilidade do trabalhador. Porém, não vamos aceitar esse tipo de acordo direto”, alerta.

Os trabalhadores foram informados na assembleia que a homologação não foi realizada e o Sindicato está solicitando reunião com a diretoria de empresa para tratar do assunto. Além disso, o SMetal vai pautar a elaboração de um acordo coletivo com a cláusula de salvaguarda, que protege o trabalhador da Reforma; a valorização do vale-compras; e o plano de carreira e grade salarial. 

A De Nora fica na Zona Industrial de Sorocaba, fabrica eletrodos e sistemas eletroquímicos e tem 85 trabalhadores.

 

Deixe seu Recado