SMetal

Imprensa

Sorocaba e região

SMetal cobra lockdown nas empresas metalúrgicas para próxima semana

Medida tem o objetivo de salvar vidas, no momento em que o Brasil atinge a situação mais crítica da pandemia da Covid-19; fábricas receberam pauta para colocar os trabalhadores seguros em casa

Quinta-feira, 25 de Março de 2021 - 17:32 - Atualizado em 25/03/2021 18:00
Imprensa SMetal

marco, 2021, imprensa, Arquivo/Foguinho/Imprensa SMetal
A montadora Toyota foi uma das empresas pautadas pelo SMetal Arquivo/Foguinho/Imprensa SMetal
O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) já está em negociação com as empresas da base para um lockdown a partir da próxima segunda-feira, 29. A medida tem o objetivo de salvar vidas, num momento em que o Brasil atinge a situação mais crítica da pandemia da Covid-19.

Na pauta, que está sendo enviadas para as empresas de Sorocaba e região, o SMetal propõe a adoção de medidas como férias coletivas; compensação de dias; banco de horas e banco de dias.

O presidente do Sindicato, Leandro Soares, enfatiza que a medida é urgente. “É hora de parar para salvar vidas. E parar com responsabilidade, adotando ferramentas que garantam o emprego e a renda dos trabalhadores. Não temos mais como protelar nessa decisão, estamos diante de uma situação de vida ou morte”. Leandro aponta ainda que o Sindicato vai cobrar das empresas essa responsabilidade.

Silvio Ferreira, secretário-geral do SMetal, lembra que o país já atingiu 300 mil mortos e o número continua a crescer. “É lastimável contarmos esse número. Somente em Sorocaba, quase mil pessoas perderam a vida. Além disso, a nova variante da doença, mas letal e mais transmissível, já está entre nós. Temos que colocar os trabalhadores seguros em casa, junto com as suas famílias”.

Além do alto número de óbitos, Sorocaba está com os hospitais públicos e particulares lotados. “Não tem para onde correr. Quem ficar doente, não terá vaga em nenhum lugar e, ainda para piorar, tem o risco dos remédios para tratar os pacientes com Covid acabaram em muito breve. Então, temos que priorizar as vidas nesse momento. Ao fazermos isso, estamos garantindo meios para salvar a economia”, explica Leandro.

Nota oficial

Na nota oficial, divulgada pelo SMetal nesta semana, a entidade aponta que “tal caminho cumpre, ainda, uma função social. Garantir que os trabalhadores metalúrgicos estejam seguros em casa, contribui para a diminuição da circulação de pessoas e, como resultado, traz a redução do número de infectados e dos óbitos e desafoga a rede de saúde, tanto a pública quanto a privada. Tais afirmações estão embasadas em especialistas da saúde e em economistas de todo mundo, que defendem o lockdown como meio de salvar vidas e preservar a economia”Leia a nota na íntegra.

Nova variante e medidas mais rígidas

A nova variante, identificada primeiro em Manaus, foi confirmada na terça-feira, 22, pela Prefeitura de Sorocaba. Segundo o poder executivo, essa variante tem uma taxa de contágio 90% maior do que as outras e atinge pessoas entre 23 e 60 anos, além de crianças.

Com isso, o prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) abandonou tanto o discurso em prol do “kit covid”, que é desaconselhado por médicos de todo o mundo, para o combate precoce da doença, e mudou o discurso que vinha usando, de minimizar a gravidade da pandemia. Ele também anunciou medidas mais rígidas na cidade.

Deixe seu Recado