SMetal

Imprensa

Salários

Sem acordo, motoristas de Sorocaba param nesta segunda-feira

Tarifas já foram reajustadas este ano, mesmo sem ter havido repasse aos motoristas; empresas estavam avisadas sobre a greve desde 31 de maio

Domingo, 04 de Junho de 2017 - 20:28 - Atualizado em 06/06/2017 15:08
Imprensa SMetal

onibus, imprensa smetal, foguinho, transporte, condutores, campanha salarial, Foguinho/Imprensa SMetal
Paralisação no transporte começa às 3h desta segunda, dia 5; Sindicato se compromete a manter circulando frota mínima prevista em leiFoguinho/Imprensa SMetal
Por telefone, empresários que operam o transporte urbano de Sorocaba disseram aos dirigentes da categoria, neste domingo, dia 4, que a proposta de reajuste salarial deles continua limitada a 2,5%. Com isso, o Sindicato dos Rodoviários manteve a greve anunciada anteriormente, que vai começar às 3h da madrugada desta segunda-feira, dia 5.

A data-base dos condutores rodoviários de Sorocaba e Região venceu no dia 1º de maio. Os trabalhadores reivindicam a reposição do custo de vida dos últimos meses, com base na média de quatro índices de inflação; e mais 6% de aumento real.

 O comunicado de greve foi aprovado pelos trabalhadores em assembleia sindical na quarta-feira, dia 31. Por lei, a paralisação pode ser iniciada 72 horas após o comunicado.

Nota da assessoria do Sindicato divulgada na tarde deste domingo, informa que a entidade “compromete-se a manter em circulação pelo menos 40% da frota de ônibus nos horários de pico e 30% da frota nos demais horários. O transporte especial irá rodar 100%”.

Houve negociações entre o sindicato e os empresários na sexta e no sábado, para tentar evitar a greve, mas os patrões não apresentaram nova proposta. Haveria uma nova reunião neste domingo, mas as empresas comunicaram por telefone que ainda não havia nada de novo a propor aos trabalhadores.

 

DEM culpa PSDB

Em entrevista coletiva na tarde de sexta, dia 2, o prefeito de Sorocaba, José Crespo (DEM), culpou as gestões anteriores, do PSDB, pela falta de recursos em caixa na Prefeitura e na empresa pública de transporte (Urbes).

Crespo chegou a dizer que a crise econômica em Sorocaba é pior do que a crise no país.

Mesmo sem ter havido reajuste salarial dos trabalhadores no transporte, as empresas de Sorocaba  já aumentaram a tarifa aos usuários este ano.

Em Sorocaba o aumento do bilhete foi de 7,89% no início de março. Segundo a prefeitura municipal, o motivo foi recuperar perdas de 14 meses sem reajuste na tarifa.

A Urbes teve um pedido de liminar contra a greve negado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT 15ª Região) negado neste fim de semana.

 

Audiência no TRT nesta segunda

Na nota à imprensa o sindicato confirmou neste domingo que, mesmo com a greve deflagrada, irá participar de uma audiência de conciliação na tarde desta segunda-feira, às 14h, no TRT em Campinas, na qual espera contar com nova proposta das empresas e da Urbes.

“O Sindicato reafirma que continua aberto ao diálogo e à negociação, que garanta um reajuste salarial digno aos trabalhadores e evite uma paralisação”, conclui e nota da entidade.  Já a assessoria da Prefeitura, até o início da noite, não havia se manifestado.

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região(SMetal) filiada à CUT como a entidade dos condutores, informa que apoia a greve no transporte público por melhores salários e por mais valorização profissional, respeito e agilidade na campanha salarial.

Deixe seu Recado