SMetal

Imprensa

Opinião

Quem tira seus direitos não te representa

Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017 - 12:17 - Atualizado em 15/12/2017 16:48
Editorial Imprensa SMetal

Reforma, Previdência, Divulgação
Reforma da PrevidênciaDivulgação
Como se não bastasse ter bombardeado a população o ano inteiro com a retirada de direitos trabalhistas, com o crescimento do desemprego, com a queda do poder aquisitivo e com a volta do Brasil ao Mapa da Fome, o governo golpista de Temer quer destruir a paz de quem trabalha também em dezembro.

Para encerrar 2017 bem contentes, Temer, junto com seus patrocinadores e seus lacaios, querem aprovar a Reforma da Previdência às pressas, de surpresa, na próxima semana. Ou seja, querem festejar, junto com o ano novo, o fim do direito à aposentadoria dos brasileiros.

Toda indignação é pouca diante dessa presepada de final de ano do atual governo. É preciso reagir agora para evitar mais esse prejuízo definitivo que a turma do Temer quer impor para a imensa maioria da população brasileira, que vive de salários ou da renda de pequenos empreendimentos.

É necessário que o Brasil pare se a reforma for colocada em votação na próxima semana. E é fundamental que a população compreenda e apoie a paralisação dos mais variados setores de atividade, inclusive o transporte coletivo.

Além da paralisação, para se fazer ouvir, todo trabalhador e trabalhadora deve procurar os deputados da região e exigir que votem contra mais essa reforma perversa que os golpistas prepararam para nós e para nossos descendentes.

Eleitos pela população como representantes da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), os deputados Vitor Lippi (PSDB) e Missionário José Olímpio (DEM) já se declararam favoráveis à Reforma; Herculano Passos (PSD) e Guilherme Mussi (PP) estão indecisos; e Jefferson Campos (PSD) afirma que é contra a retirada de direitos previdenciários.

Independente da declaração atual de votos dos deputados, é importante os eleitores deixarem claro para eles que estão de olho e não aceitam ser representados por quem trai seus interesses mais básicos, que são os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários.

O tucano Lippi, por exemplo, merece atenção especial do eleitorado. Ele votou sim para todas as propostas que retiraram de direitos da população este ano, incluindo a terceirização e a reforma trabalhista. Ele também provou que a intenção dos golpistas é entregar os bens, riquezas e serviços públicos brasileiros ao capital estrangeiro, pois, no final de novembro, votou sim para o projeto de Temer que concede isenção de impostos para petrolíferas de outros países na exploração do pré-sal e pós-sal do Brasil.

Temer nem disfarça mais a compra de votos de deputados para aprovar leis que tiram direitos da população. Numa tacada só, no final de novembro, ele prometeu tirar R$ 14,5 bilhões dos cofres públicos para distribuir aos parlamentares que se comprometessem a votar a favor da Reforma.

Não se deixe enganar pelas falsas melhorias na proposta de reforma anunciadas pelo governo e divulgadas pelos seus apoiadores. Desconfie também de veículos de comunicação que ajudaram esse governo a chegar ao poder e estão recebendo verbas para fazer propaganda em defesa das reformas.

Depois de enfrentar e vencer mais esse derradeiro ataque de 2017 contra os direitos dos trabalhadores, aproveite o merecido período de descanso, reflexão e confraternização. Desejamos a você e seus familiares um 2018 muito melhor.

Deixe seu Recado