SMetal

Imprensa

Assembleia Online

Proposta de acordo da Gerdau será votada a partir desta quarta-feira

O SMetal tem buscado medidas para diminuir o impacto da crise causada pela Covid-19 na vida dos trabalhadores; proposta de redução de jornada será votada pelos funcionários do administrativo da Gerdau a partir desta quarta, dia 6, às 16h (acesse aqui)

Terça-feira, 05 de Maio de 2020 - 19:51 - Atualizado em 08/05/2020 15:02
Imprensa SMetal

gerdau, sindicato, smetal, sorocaba, votação, proposta, Foguinho/Arquivo Imprensa SMetal
A proposta na íntegra e a votação são disponibilizados apenas aos funcionários da GerdauFoguinho/Arquivo Imprensa SMetal
Os trabalhadores do administrativo da Gerdau, de Araçariguama, decidem em assembleia online, disponível a partir das 16h desta quarta-feira, 6, no Portal SMetal (acesse aqui), proposta de redução de jornada e salário na empresa. O término da votação será às 16h de quinta-feira, dia 7. 

O secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Silvio Ferreira, explica que, com a edição da Medida Provisória 936, de 1º abril de 2020, a entidade buscou uma proposta mais benéfica ao trabalhador do que a apresentada pelo governo. “Nosso objetivo nas negociações é o de reduzir os impactos da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus no bolso e na vida dos trabalhadores, garantindo salários e a manutenção do emprego”, explica.

Para votar, os trabalhadores do administrativo devem acessar o link da assembleia online e preencher a matrícula na empresa (RE) e data de nascimento. A proposta na íntegra e a votação são disponibilizados apenas aos funcionários da empresa. O resultado será divulgado após o encerramento das votações, que acontece às 16h desta quinta, dia 7. (confira o edital)

A ferramenta de assembleia virtual do SMetal, criada em parceria com a Pandora Soluções, faz uso de conexão segura e criptografada, tornando assim o voto do trabalhador sigiloso. “Votem com consciência e responsabilidade. A assembleia é soberana e são os trabalhadores que decidem se a proposta é aceitável ou não”, conclui o secretário-geral do Sindicato.

 

Deixe seu Recado