SMetal

Imprensa

Reforma da Previdência

Previdência: INSS ainda não adequou sistema com novas regras

Quase três meses após a aprovação da Reforma da Previdência, nenhuma aposentadoria com base na nova legislação foi concedida; segundo próprio governo, fila tem cerca de 2 milhões de pedidos atrasados

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2020 - 09:50 - Atualizado em 03/02/2020 16:36
Imprensa SMetal

2020, imprensa, Agência Brasil
Condsef estima que o número de pedidos atrasados pode chegar a 3 milhõesAgência Brasil
Quase três meses após a aprovação da Reforma da Previdência, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ainda não adequou sistema às novas regras para concessão dos benefícios. Com isso, desde novembro, nenhuma aposentadoria com base na nova legislação foi concedida.

Enquanto isso, a fila do INSS só aumenta. O próprio governo Bolsonaro estima que os pedidos atrasados cheguem a 2 milhões. Desses, 1,3 milhão são pedidos de aposentadorias e 700 mil de outros benefícios. Mas, de acordo com o Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), o número de pedidos atrasados pode chegar a 3 milhões.

O secretário de organização do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Izidio de Brito, acredita que a situação deve se agravar. “O governo Bolsonaro já demostrou a tamanha incompetência para resolver os problemas do país. E com o INSS não tem sido diferente. Além de não conseguir adequar o sistema, não tem uma solução para acabar com fila e, assim, aqueles que mais precisam estão sofrendo sem saber quando vão conseguir a aposentadoria que tanto batalharam para ter. “

O governo de Bolsonaro pretende contratar 7 mil militares da reserva para atuar no INSS e reduzir a fila de espera na concessão dos benefícios. O custo da proposta será de R$ 14,5 milhões ao mês para os cofres públicos.

Para Izidio, a medida é preocupante. “Nem na ditadura se viu tantos militares ocupando cargos administrativos nas empresas estatais e isso é muito preocupante. Além disso, não são pessoas com conhecimento técnico para atuar nessa área, precisaram de treinamento e isso leva tempo, atrasando ainda mais o processo das pessoas que precisam dos benefícios”.

O secretário de Organização aponta que o caminho seria a contratação de pessoas qualificadas para a função. “Seria uma forma de suprir a demanda e ainda minimizar a situação do desemprego. Além disso, poderia se convocar servidores do INSS aposentados, que já bem como trabalhar no setor”.

Deixe seu Recado