SMetal

Imprensa

Artigo

Precisamos falar mais sobre o Sistema Único de Saúde (SUS)

Sexta-feira, 14 de Setembro de 2018 - 12:53 - Atualizado em 14/09/2018 13:36

,
O SUS precisa de investimentos, mas o governo Temer e os políticos aliados, logo após o golpe, congelaram os recursos da saúde por 20 anos
O Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil é o responsável pelo maior programa de vacinação do mundo. É universal, ou seja, foi criado para atender gratuitamente a qualquer cidadão. Estados Unidos e Europa não têm um sistema de saúde que seja tão amplo.

Ele tem a maior cobertura de tratamento para pessoas que vivem com HIV/Aids, a maior rede de distribuição de medicamentos, é o responsável por 90% da medicina de alta complexidade.

Em qualquer outro país, cada atendimento/tratamento é pago. O SUS foi criado pela Constituição Federal de 1988 e implementado em 1990 e garante atendimentos em postos de saúde e hospitais, incluindo os universitários, como o Hospital Santa Lucinda, em Sorocaba, e até em hospitais particulares, dependendo do convênio com o SUS.

O sistema também demanda recursos para bancos de sangue, institutos de pesquisas, como Oswaldo Cruz e Vital Brazil.

Quem precisa de transfusão de sangue, precisa de SUS. Campanhas de vacinação são feitas graças ao SUS. Quando um trabalhador perde o emprego e fica sem convênio médico, ele ou algum familiar pode precisar da rede do SUS para consulta, exames, internação, tratamentos, etc.

É de responsabilidade do SUS também a Vigilância Epidemiológica e campanhas de prevenção. Por tudo isso, precisamos defender nosso sistema público de saúde, defender mais investimentos e qualidade!

Neste ano, precisamos ter clareza de quem vota para a defesa dos direitos e quem vota contra. Ficar atentos aos deputados da nossa região, que como Vitor Lippi (PSDB), trabalharam para congelar os investimentos na saúde e na educação por 20 anos!

Consulte o “Mapa das Votações” do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP). Estão disponibilizados todas as votações dos atuais deputados como a Reforma Trabalhista e terceirização, também.

Votar consciente neste ano,é votar em candidatos que não sejam golpistas, que não estão contra o povo.

 

Silvio Ferreira, secretário-geral do SMetal

Deixe seu Recado