SMetal

Imprensa

Editorial

O ano que teima em não terminar

Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2016 - 10:51 - Atualizado em 27/12/2016 15:30
Imprensa SMetal

,
'Agora o cenário apenas está mais claro, pois estamos vendo o desfecho de tudo o que os golpistas vinham concebendo há anos'
Em virtude das férias coletivas na maioria das empresas e no Sindicato, esta é a última Folha Metalúrgica do ano. Em janeiro de 2017 o informativo voltará a circular. Quem sabe até volte com perspectivas mais positivas para a sociedade e para a classe trabalhadora, pois 2016 merece entrar pro arcabouço das páginas tristes e caóticas da história brasileira.

Aliás, esta edição foi produzida no exato dia, 13 de dezembro, em que se completaram 48 anos do Ato Institucional nº 5, o famigerado AI-5, imposto pela ditadura militar para acabar com os direitos e garantias individuais. Inclusive para muitos dos desavisados que haviam apoiado o golpe de 1964 por pura adesão ao discurso da direita, de que era necessário conter "o perigo comunista" supostamente representado pelo presidente João Goulart.

O golpe de 64 e o AI-5 de 68 certamente farão companhia a 2016, na ocasião do despertar da consciência dos trabalhadores que ainda não entenderam o retrocesso a que submeteram a sociedade por aderir à manipulação da direita.

Apenas esperamos que esse despertar aconteça num futuro próximo, antes do país chegar ao estágio da convulsão social ou de se tornar, de novo, recordista em injustiça social, em concentração de renda, em violência oficializada, em exclusão de minorias, em fome e miséria.

Mas, enfim, apesar dos muitos pesares deste ano, desejamos a todos os metalúrgicos e familiares muita paz e união nas festas de fim de ano.

Porém, nos intervalos das confraternizações não fará mal exercitar a capacidade de reflexão sobre o que vem acontecendo com nosso País. Será um bem coletivo fazer a si mesmo perguntas sobre quais as reais intenções de quem articulou previamente tudo o que sucedeu com o Brasil neste fatídico 2016. Qual foi o papel de cada um de nós neste cenário? Qual foi o papel das mídias? Qual foi o papel dos atuais "salvadores da pátria", que se candidatam a tomar ainda mais o poder da Nação e subjulgar seus opositores?

Além de aniversário do AI-5, esta edição foi finalizada no dia em que o Senado aprovou a grotesca PEC 55, que congela investimentos em saúde e educação por 20 anos. Por isso, sugerimos ao metalúrgico que também reflita sobre a quem interessa o sucateamento de serviços públicos essenciais.

Infelizmente, as notícias sociais, políticas e econômicas ruins aconteceram em profusão neste 2016. Agora o cenário apenas está mais claro, pois estamos vendo o desfecho de tudo o que os golpistas vinham concebendo anos antes do duvidoso processo de impeachment.

Aliás, este ano parece que teima em demorar para acabar. A proposta de Reforma da Previdência, cujos prejuízos aos trabalhadores são tema de reportagem nesta edição, está tramitando a "toque de caixa", pois vários parlamentares golpistas vêm sendo indiciados por corrupção.

Aliás, vale refletir no fim de ano quantas vezes o Executivo e Legislativo viraram vitrine de escândalos nas últimas décadas, mas sempre com acusações que não alterem as estruturas e as intenções da direita. Quem sabe em 2017 o Judiciário também se submeta à mesma transparência e controle social?

Diante das esculhambações sobre poderes constituídos, será boa a intenção dos pretensiosos operadores da Justiça, os "salvadores da Pátria", que berram por ainda mais poder e menos transparência? Sugerimos mais essa reflexão ao leitor na virada do ano.

Então, que venha 2017 e que nos traga unidade, paz, saúde, harmonia, trabalho, felicidade na vida pessoal, consciência individual e espírito de coletividade!

Deixe seu Recado