SMetal

Imprensa

Metalúrgicos da CUT

Negociações da Campanha Salarial 2019 são intensificadas

A FEM-CUT/SP tem enfrentado resistência por parte de alguns grupos patronais em manter o atual piso salarial dos metalúrgicos

Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019 - 10:41 - Atualizado em 13/09/2019 15:01
Imprensa SMetal

fem, cut, metalúrgico, campanha, salarial, fem, Raquel Camargo
Rodada de negociação da FEM-CUT com o Grupo 3Raquel Camargo
Faltando poucos dias para a data-base da categoria – 1º de setembro – a Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM/CUT-SP) está intensificando as negociações da Campanha Salarial 2019 com as bancadas patronais.

De acordo com o tesoureiro da FEM-CUT e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba (SMetal), Adilson Faustino (Carpinha), um dos principais ataques dos patrões durantes as discussões tem sido referente ao piso salarial.

“Especialmente nos grupos em que estamos negociando a pauta cheia (cláusulas sociais e econômicas), a redução do piso dos metalúrgicos de São Paulo tem sido defendida com veemência pelos patrões. Para eles, o piso está muito alto em comparação a outros Estados”, explica.

Apesar da dificuldade nas negociações, Carpinha destaca que somente a unidade e mobilização vai garantir a manutenção de direitos e salários dignos.

Para ele, os ataques que a classe trabalhadora vem sofrendo, como a Reforma Trabalhista, o fim da ultratividade, a terceirização irrestrita, entre outros, é visto com certa “ganância” pelo patronal. “Por isso, o trabalhador precisa ter consciência da importância da Convenção Coletiva e que, sem ela, o metalúrgico fica ainda mais desprotegido no local de trabalho”, finaliza.

Durante a semana, serão realizadas mesas de negociações com o G2, G3, Fundição, Estamparias, Sindicel e G8.3.

Inflação está em 3,16%

Falta apenas o INPC do mês de agosto para completar 12 meses e a inflação acumulada desde setembro de 2018 (última data-base da categoria) está em 3,16%. No mesmo período do ano passado, o total acumulado estava em 3,64%. O índice de julho foi divulgado dia 8 de agosto e registrou aumento de 0,1%.

Deixe seu Recado