SMetal

Imprensa

Exibição em Sorocaba

Mulheres e Luta é retomado com o documentário Torre das Donzelas

Atividade acontece no dia 12, às 19h, no auditório do SMetal. Após a exibição do documentário haverá debate com a participação de Guida Amaral, Nair Benedicto e Rita Sipahi, que foram presas políticas na década de 70

Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020 - 14:50 - Atualizado em 04/03/2020 12:53
Divulgação Mulheres e Luta

mulheres, luta, sorocaba, torre, donzelas, ditadura,, Divulgação
Para quem precisar, haverá certificado de participação. A entrada é gratuita e aberta a todxsDivulgação
“Sonhar mais um sonho impossível/ lutar quando é fácil ceder”... Como no trecho da canção escrita durante a ditadura militar, ainda é preciso vencer a realidade para vislumbrar um horizonte mais justo e igualitário no Brasil.

Para que mais vozes se somem a esse sonho de, enfim, ver uma flor brotar do impossível chão - marcado por violências contra as mulheres, pelo genocídio negro, por ameaças e mortes por conta de orientação sexual e identidade de gênero LGBTI – o Núcleo de Estudos de Gênero, Diferenças Sexualidades (NEGDS) da UFSCar Sorocaba retoma, em março, o projeto Mulheres e Luta, em parceria com o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e região (SMetal).

No próximo dia 12, às 19h, no auditório do SMetal será exibido o documentário Torre das Donzelas (2019), da diretora Susanna Lira, que revisita a história, 40 anos depois, de um grupo de mulheres após serem presas durante a ditadura militar na Torre das Donzelas, como era chamada a penitenciária feminina, ao lado da ex Presidente da República Dilma Roussef.

Após a exibição haverá bate-papo com a participação de três das protagonistas dessa história. São elas: Guida Amaral (Margarida Maria do Amaral Lopes), Nair Benedicto e Rita Sipahi, além de Márcia Viana, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SP.

"Esse projeto é muito importante por destacar o papel da universidade junto aos movimentos sociais, com uma agenda de atividades muito positiva para discutir e mobilizar contra as opressões", afirma Márcia Viana.

Para quem precisar, haverá certificado de participação. A entrada é aberta a todxs. O SMetal fica na rua Julio Hanser, 140, próximo da rodoviária.

Saiba mais sobre o Mulheres e Luta
Desde 2018, o Mulheres e luta promoveu diversas discussões sobre a luta feminista, com recortes como Feminismo Negro, trajetórias de compositoras silenciadas, a vida de Angela Davis, com pesquisadoras e palestrantes de diversas regiões.

Deixe seu Recado