SMetal

Imprensa

Reorganização escolar

Mudanças na rede estadual de ensino é tema de debate nesta quinta, 8

Apeoesp estima que aproximadamente 30 mil professores poderão ser demitidos. Debate é promovido pelo coletivo de professores do Café&Educação

Quarta-feira, 07 de Outubro de 2015 - 16:18 - Atualizado em 27/12/2016 14:15
Imprensa SMetal

,
Bebel salienta que essa reorganização da rede estadual é 'colocar alunos em 'caixinha' do ensino fundamental e outros em 'caixinha' do ensino médio'
"A lógica de ciclos tem que integrar uma etapa à outra. Isso que o Estado está propondo não tem nada de pedagógico", afirmou a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Azevedo Noronha (Bebel) sobre a reorganização da rede estadual, em entrevista ao SMetal.

Ela participa amanhã, 8, às 19h, do debate sobre o tema promovido pelo Café&Educação, no núcleo ETC da UFScar em Sorocaba (rua Maria Cinto de Biaggi, 140, Santa Rosália).

Essa intenção do governador de Estado Geraldo Alckmin (PSDB) de reduzir escolas com os três ciclos (1º ao 5º do Fundamental, 6º ao 9º do Fundamental e Ensino Médio), segundo Bebel, trata-se apenas de um "enxugamento da máquina", ou seja, redução de investimentos na educação, "sem se importar com o impacto que isso causa na vida das pessoas".

A Secretaria Estadual de Educação elencou escolas que podem receber mais alunos de outras escolas próximas e afirma que respeitará o módulo de estudantes por sala: 30 para o ciclo I do Fundamental, 35 para o Ciclo 2 e 40 para o Ensino Médio. "Esta escola que receberá novos alunos também terá alunos, de outros ciclos, transferidos para outras unidades, deixando-a, assim, com foco em dois ou um ciclo de ensino. Hoje a rede estadual de ensino tem 1.443 escolas só com um ciclo", informa a secretaria.

‘Separação em caixinhas'

O anúncio da reorganização das escolas da rede estadual de ensino, que inclui a separação física total entre as escolas dos anos iniciais do Ensino Fundamental, escolas dos anos finais do Ensino Fundamental e escolas de Ensino Médio, foi feito pelo Secretário Estadual da Educação aos meios de comunicação e perante o Conselho Estadual de Educação na manhã de terça-feira, 23 de setembro.

Bebel salienta que essa reorganização é "colocar alunos em ‘caixinha' do ensino fundamental e outros em ‘caixinha' do ensino médio. Eles estão maqueando a realidade porque o discurso é pela qualidade, mas até agora, já tem previsão de fechamento de 100 escolas no Estado no ano que vem e a Apeoesp acredita que 30 mil professores serão demitidos".

A secretaria estadual de educação já deu início a um processo de recadastramento de todos os seus alunos, visando à atualização de endereços dos estudantes (www.atualizeseusdados.educacao.sp.gov.br). A reorganização será regulamentada por meio de decreto do governador Geraldo Alckmin.

Isso já aconteceu antes e não teve bom desfecho

A presidente da Apeoesp destaca também que em 1995 uma medida parecida com essa foi feita pela ex-secretária Rose Neubaeur, quando ‘reorganizou' o primeiro ciclo e causou 20 mil demissões de professores, professores adidos (que ficaram sem aulas em suas escolas), desorganização e transtornos nas famílias dos estudantes e uma série de outros prejuízos à educação pública estadual.

Café&Educação

O evento contará com a presença de estudantes da USES (União dos Estudantes Secundaristas), alunos de escolas públicas estaduais, acadêmicos da UFSCar e além da presidente da Apeoesp, Bebel, conta também com o professor doutor Marcos Soares, da mesma universidade, no debate.

O evento é aberto ao público, e será realizado no Núcleo ETC UFSCar, localizado na Rua Maria Cinto de Biaggi, 130, Jd. Santa Rosália, com início às 19h.

Deixe seu Recado