SMetal

Imprensa

Contra a Reforma

Motoristas decidem converter greve desta segunda em protesto até às 8h

Apesar da paralisação, que duraria o dia todo, estar suspensa, o transporte público só deverá circular normalmente após as 8h desta segunda-feira devido a protestos que serão realizados nas garagens de ônibus nas primeiras horas da manhã

Sábado, 17 de Fevereiro de 2018 - 18:16 - Atualizado em 19/02/2018 09:41
Imprensa SMetal

motoristas sorocaba, Foguinho/Imprensa SMetal
Ônibus devem voltar a circular nesta segunda após protestos nas garagens, que termina às 8h da manhãFoguinho/Imprensa SMetal
Em virtude da Reforma da Previdência ter sido retirada da pauta de votação no Congresso, o Sindicato dos Trabalhadores no Transporte de Sorocaba e região suspendeu hoje, dia 17, a greve prevista para esta segunda-feira, 19. Ao invés da paralisação, que duraria o dia todo, os motoristas vão realizar protestos, nas primeiras horas da manhã, nas garagens das empresas de ônibus da região. Os protestos devem durar até às 8h.

Somente após às 8h da manhã, portanto, o transporte coletivo começará a circular normalmente nesta segunda-feira.

O protesto no transporte contra a Reforma da Previdência conta com o apoio da subsede regional da CUT e dos sindicatos filiados à central na região de Sorocaba.

“Foi sábia a decisão do Sindicato em converter a greve em protesto. O governo Temer não é nem um pouco confiável. Pelo contrário, é traiçoeiro. E a reforma pode voltar à pauta de votação na calada da noite, assim que o governo resolver suspender a intervenção no Rio de Janeiro”, afirma Ademilson Terto da Silva, coordenador da subsede da CUT e ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos (SMetal).


Pressão popular e recuo de Temer

A Reforma da Previdência foi retirada da pauta porque o governo decretou intervenção federal no Rio de Janeiro nesta sexta-feira, 16, devido ao crescimento da violência no estado. Por lei, nenhuma mudança na Constituição, como é o caso da reforma, pode ser votada enquanto houver intervenção federal em qualquer estado do território nacional.

“Na verdade, para Temer e seus aliados, a intervenção foi uma motivação oportuna para tirar a reforma da pauta. O governo sabia que não teria votos suficientes na Câmara dos Deputados para acabar com a aposentadoria dos brasileiros. E essa falta de votos favoráveis à reforma é um resultado direto da pressão popular sobre os deputados”, ressalta Terto.


Mobilização permanente

“Por isso mesmo, temos que manter uma rotina de mobilização permanente da sociedade e continuar pressionando os deputados eleitos pela região de Sorocaba para que não votem mais contra os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras”, defende o dirigente sindical.

Assim como os condutores de Sorocaba, diversas categorias profissionais no Brasil deverão manter protestos contra a reforma nesta segunda-feira.

Confira a seguir a íntegra do comunicado do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte de Sorocaba e Região, emitido na tarde de hoje, dia 17.

 

URGENTE

Trabalhadores em transportes fazem protesto contra a REFORMA DA PREVIDÊNCIA até 8h no dia 19 de fevereiro

A condição de greve durante todo o dia foi suspensa diante de mais um recuo do governo federal na votação

Diante de retirada da pauta de votação da PEC 287/2016 (Proposta de Emenda Constitucional) da REFORMA DA PREVIDÊNCIA, representando mais um recuo do governo federal na votação, o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região informa que está suspensa a paralisação durante todo o dia 19 de fevereiro e que os trabalhadores em transportes representados pela entidade irão realizar um PROTESTO na madrugada até as 8h da manhã, da segunda-feira (19), quando serão realizadas assembleias nas garagens das empresas.

O PROTESTO irá acontecer em todas as empresas de transportes urbano, intermunicipal, rodoviário, de fretamento e de cargas, nos 42 municípios que compreendem a base de representação do Sindicato, ou seja, de Araçariguama até Itararé, passando pelos municípios das regiões de Sorocaba, São Roque, Itapetininga e Itapeva.

O Sindicato irá realizar assembleias para manter os trabalhadores informados sobre os malefícios que a reforma da Previdência traz à classe trabalhadora, para solicitar aos trabalhadores a ampliação da pressão sobre os deputados federais da região para que eles votem contra a reforma e para manter a categoria mobilizada, pois a greve geral irá acontecer assim que a PEC voltar à pauta do Congresso Nacional.

O Sindicato está comunicando as empresas sobre a mudança no horário do PROTESTO contra a reforma da Previdência.

 

Deixe seu Recado