SMetal

Imprensa

Carmar

Ministério do Trabalho solicita mudanças após o acidente fatal

O soldador Emerson, de 19 anos, morreu na última sexta-feira, dia 2, após ser atingido por uma peça de duas toneladas, na Carmar

Quinta-feira, 08 de Março de 2018 - 10:09 - Atualizado em 09/03/2018 11:56
Imprensa SMetal

carmar, Divulgação/Imprensa SMetal
Bloqueado: A Carmar é especializada em usinagem e caldeirarias especiais. O setor onde Emerson trabalhava está parado até que a empresa faça as modificações solicitadasDivulgação/Imprensa SMetal
O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e o auditor fiscal da Gerência Regional do Trabalho e Emprego, do Ministério do Trabalho, João Lúcio Spindola Sanches, estiveram nesta quarta-feira, dia 7, na Carmar para averiguar o local e as consequências do acidente.

De acordo com o diretor Alessandro Marcelo, a produção da fábrica retornou nesta terça-feira, 6, mas os trabalhadores estão visivelmente abalados com o acidente fatal que ocorreu no dia 2.

A vítima foi o soldador Emerson Silva Oliveira, 19 anos, que tinha sido efetivado em janeiro deste ano, após participar do programa Jovem Aprendiz/Senai.

Ele trabalhava junto com outras três trabalhadores numa peça carretel de duas toneladas, que ficava em cima de uma base.

A direção do SMetal está consternada e indignada com os acidentes fatais ocorridos nos últimos dias. “Contamos com o apoio da categoria para tomar medidas a fim de que novas tragédias não voltem a acontecer em nosso meio”, afirma o presidente do Sindicato, Leandro Soares.

Conforme a diligência desta quarta-feira, 7, a Gerência Regional do Trabalho solicitou mudanças nessa base, colocando um limitador, além de outras medidas para garantir a segurança dos trabalhadores.

O SMetal realizará uma assembleia nesta quinta-feira, às 14h30, na porta da fábrica, para informar os metalúrgicos sobre as ações que estão sendo realizadas. De acordo com os dirigentes do sindicato, além do laudo do Ministério do Trabalho, a empresa emitirá um relatório sobre o acidente.

 

Leia maisA cada quatro horas e meia morre um trabalhador no Brasil

Deixe seu Recado