SMetal

Imprensa

Mídia e polícia

Mídia local tentou envolver Sindicato em ocorrências no dia da greve

Quinta-feira, 04 de Maio de 2017 - 12:27 - Atualizado em 04/05/2017 17:14
Imprensa SMetal

, Gabriela Guedes/Imprensa SMetal
A direção do Sindicato reafirma que não confunde os profissionais com os veículos de comunicação nos quais trabalham, ainda que seja a GloboGabriela Guedes/Imprensa SMetal
Durante a greve do dia 28 de abril em Sorocaba alguns veículos de comunicação, principalmente a TV Tem, afiliada da Globo, tentou ligar o Sindicato dos Metalúrgicos (SMetal) a algumas ocorrências divulgadas pela polícia. O envolvimento do nome da instituição foi feito de maneira precipitada, sem a devida checagem e totalmente desmentido minutos depois.

Ainda na madrugada, a polícia apreendeu um furgão VW Kombi com “miguelitos” (apetrechos para furar pneus de carros). Estavam no veículo três supostos sindicalistas. A emissora de TV seguiu a divulgação apressada da Polícia Militar e relacionou o caso com o SMetal. Porém, ficou comprovado que nem o veículo, nem seus ocupantes tinham qualquer ligação com o Sindicato dos Metalúrgicos ou com a CUT.

Também nas primeiras horas da manhã, um cinegrafista da mesma TV foi agredido na estação rodoviária de Sorocaba. Novamente a emissora se precipitou e chegou a divulgar uma chamada no jornal da manhã afirmando que o autor da agressão seria um sindicalista metalúrgico. A acusação foi totalmente desmentida antes do jornal ir ao ar. Não havia ninguém do SMetal nem perto do local do conflito.

 

Respeito

Em contato com a redação da TV Tem, além de provar não ter relação com o episódio, o SMetal lembrou que sempre respeitou os profissionais de comunicação como trabalhadores que são.

A direção do Sindicato também reafirmou que não confunde os profissionais com os veículos de comunicação nos quais trabalham, ainda que esse veículo seja filiado à uma rede golpista e manipuladora como a Globo.

Outra tentativa de criminalizar o sindicalismo metalúrgico e cutista foi tentar associá-lo com um ato de vandalismo contra o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), na região central. Novamente, nesse caso, a relação do SMetal com o corrido foi falsa e teve que ser desmentida.

 

Repúdio e provas de manipulação do noticiário

A direção do SMetal repudia as calúnias cometidas no dia da greve e recomenda aos veículos sérios de comunicação que confiram bem as informações passadas pela polícia política de Geraldo Alckmin, do PSDB, antes de reproduzi-las.

O SMetal também lembra que há anos os golpistas vêm intensificando a estratégia de criminalização dos movimentos sindicais, sociais e populares. Essa manipulação cotidiana de notícias ajudou, inclusive, a desviar a atenção do golpe parlamentar contra a democracia que era preparado nos bastidores pela direita e que foi colocado em prática no ano passado.

Os ataques atuais aos direitos dos trabalhadores são consequências desse golpe e dessas manipulações do noticiário.

Confira nesta página a denúncia de censura, manipulação de noticiário e assédio moral no jornal Cruzeiro do Sul no dia da greve geral.

Deixe seu Recado