SMetal

Imprensa

Campanha Salarial

Metalúrgicos do ABC param a produção na Ford, nesta sexta-feira (10)

Quinta-feira, 09 de Setembro de 2010 - Atualizado em 27/12/2016 11:54
Imprensa Metalúrgicos do ABC

Metalúrgicos na Ford de São Bernardo do Campo param a produção no turno da manhã desta sexta-feira (10/09), a partir das 6h, em protesto por proposta de reajuste salarial. Na Mercedes-Benz, Volkswagen e Scania, os trabalhadores seguem mobilizados.

Desde quarta-feira (8), metalúrgicos das montadoras da base do Sindicato realizam assembléias, passeatas e paralisações na produção em cumprimento à decisão unânime de assembléia da categoria realizada no sábado (04)..

As montadoras e os grupos 2 (máquinas, aparelhos elétricos e eletrônicos) e 10 (serralheria, lâmpadas e prensas) não apresentaram propostas de reajuste salarial compatíveis com as reivindicações do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

As negociações entre as bancadas patronais e sindical prosseguem até amanhã (10). No sábado (11), às 10h, haverá nova e decisiva assembleia geral, em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (rua João Basso, 231, Centro, São Bernardo do Campo).

MENSALISTAS PARAM NA VOLKS - Na manhã de hoje (9), ato seguido de passeata reuniu 2 mil trabalhadores mensalistas (pessoal do administrativo, engenheiros etc.) na Volkswagen. Os trabalhadores cruzaram os braços às 7h30 e fizeram em passeata por todos os setores da fábrica. O ato terminou às 10h com assembleia no pátio, na qual foi votada e aprovada a continuação dos protestos.

Ontem (08), trabalhadores do turno da manhã na Volkswagen e Mercedes-Benz cruzaram os braços durante duas horas em repúdio à falta de índice. Na VW, pararam 6.500 trabalhadores na produção. Na Mercedes, foram mais de 800 trabalhadores nos setores de montagem de ônibus, montagem de câmbio, CKD, revisão e complementação de veículos.

REAJUSTE DE 9% PARA 3 GRUPOS - No o sábado passado (04), 10 mil metalúrgicos aprovaram, por unanimidade, reajuste salarial de 9% negociado pelo Sindicato com as bancadas patronais dos Grupos 3 e 8, além de Fundição. É o maior aumento real conquistado pela categoria nos últimos dez anos - representa o dobro da inflação acumulada no período, 4,4%. Também é um marco nas negociações na categoria, pois historicamente o índice de reajuste obtido para os trabalhadores das montadoras referenciava as negociações com os outros cinco grupos do setor.

A base do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC tem 101,4 trabalhadores, desse total 33 mil trabalham nas cinco montadoras (Volkswagen, Mercedes-Benz, Ford, Scania e Toyota) de São Bernardo do Campo e mais de 35 nas autopeças.

Deixe seu Recado