SMetal

Imprensa

Ouro Branco

Metalúrgicos da Gerdau Araça se solidarizam com trabalhadores de MG

Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017 - 15:01 - Atualizado em 24/08/2017 15:18
Assessoria de Imprensa da CNM/CUT

gerdau, araça, Foguinho/Imprensa SMetal
Presente no ato, Loricardo de Oliveira elogiou a iniciativa dos trabalhadores da Gerdau de AraçariguamaFoguinho/Imprensa SMetal
Os metalúrgicos na Gerdau de Araçariguama, na região de Sorocaba (SP), realizaram nesta quinta-feira, dia 24, ato de solidariedade aos trabalhadores na planta de Ouro Branco (MG) da empresa, onde um acidente no dia 15 matou dois funcionários e deixou outros 10 feridos. Depois de fazerem um minuto de silêncio em memória das vítimas, os metalúrgicos aprovaram a proposta de lutar por um acordo coletivo nacional que garanta a organização no trabalho com saúde e segurança em todas as plantas da empresa e também no segmento de siderurgia.

O acidente do dia 15 foi o terceiro em nove meses na unidade de Ouro Branco. A explosão ocorreu quando um grupo trabalhava na manutenção da parte inferior da coqueria 2 da usina – um forno em que se produz o coque, derivado de carvão mineral essencial à fabricação do aço, causando a morte de Fernando Alves Peixoto, de 40 anos, e de Cristiano Rodrigo Marcelino, de 35, funcionário da Convaço (empresa terceirizada) e deixando 10 pessoas feridas, duas em estado grave. No ano passado, acidentes na usina em novembro e em dezembro provocaram cinco mortes.

O coordenador da Rede Mundial de Trabalhadores na Gerdau, Loricardo de Oliveira - que também é secretário geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) - participou da atividade desta quinta e elogiou a iniciativa dos trabalhadores de Araçariguama. "Atos como este são muito importante porque, além de expressarem a solidariedade de classe, servem de estímulo à luta por acordo nacional na empresa e na siderurgia e de alerta à empresa. É inadmissível que os trabalhadores na Gerdau continuem sendo vítimas da imposição por metas de produção, pagando com a vida ou com sequelas físicas e psicológicas", assinalou Loricardo durante o ato.

Já Leandro Soares, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (que engloba os trabalhadores da base de Araçariguama), lembrou que a reforma trabalhista do governo golpista vai piorar muito as condições de trabalho e que a única alternativa é impedir que ela seja implantada.

"Não vamos permitir que nenhum direito seja arrancado e que os trabalhadores sejam as vítimas da ganância por lucros das empresas. Por isso, nesta campanha salarial, é muito importante lutar para garantir as convenções coletivas de trabalho", afirmou Soares. 

A proposta de lutar contra a implantação da reforma trabalhista na base foi aprovada por unanimidade pelos metalúrgicos na Gerdau de Araçariguama. O Sindicato, inclusive, lançou uma campanha sobre a importância das convenções coletivas como instrumentos contra a precarização de direitos.

A data-base dos metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo é 1º de setembro e a categoria está em campanha salarial. Confira na página do facebook da entidade, clicando aqui.

Deixe seu Recado