SMetal

Imprensa

Campanha Salarial

Metalúrgicos da Apex conquistam reajustes adicionais à CCT

Quarta-feira, 01 de Novembro de 2017 - 18:33 - Atualizado em 05/11/2017 03:59
Imprensa SMetal

apex tool, silvio ferreira, ferramentas, campanha salarial 2017, assembleia, Paulo Andrade
Assembleia que aprovou o acordo adicional à convenção reuniu turnos às 16h30 desta quarta-feira, dia 1 de novembro.Paulo Andrade
A Convenção Coletiva (CCT) para quem trabalha em fábricas de ferramentas já está garantida, incluindo a salvaguarda contra a reforma trabalhista. O documento foi assinado nesta terça-feira pela Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), o SMetal e o sindicato patronal do setor (Sinafer). Mas nesta quarta-feira, dia 1º, os metalúrgicos da Apex Tool, em Sorocaba, garantiram melhorias adicionais à CCT por meio de um acordo local.

O acordo adicional entre o SMetal e a Apex prevê 20% de valorização no vale-alimentação e 1,25% de aumento real nos salários, que, somado com a reposição de 1,73% garantida pela CCT, totaliza 3% de reajuste salarial para os trabalhadores da fabricante de ferramentas localizada na zona industrial de Sorocaba.

Tanto o reajuste de salário quanto o aumento no valor do vale alimentação são retroativos a 1º de setembro.

Na mesma assembleia que aprovou os reajustes, na tarde desta quarta-feira, os metalúrgicos da Apex aprovaram também o calendário antecipado de dias-pontes (folgas em feriados prolongados) para 2018.

"A mobilização dos trabalhadores da Apex e o apoio deles às ações do Sindicato foram os principais responsáveis por termos uma negociação tão rápida e satisfatória, que agregou conquistas adicionais à Convenção Coletiva do setor, que já era considerada vitoriosa", comemora Silvio Ferreira, secretário geral do SMetal e membro do Comitê Sindical na Apex Tool.

 

Convenções assinadas

Até agora foram assinadas Convenções Coletivas de Trabalho com oito sindicatos patronais. Esta semana o SMetal iniciou negociações com diversas fábricas que fazem parte dos sindicatos patronais que estão emperrando a campanha salarial. Empresas que se recusarem a negociar podem ter como consequência a greve. LEIA AQUI.

Também esta semana, os dirigentes do SMetal passaram a negociar com empresas onde a mobilização dos trabalhadores permite reivindicar reajustes salariais e benefícios adicionais às CCTs, como foi o caso da Apex.

Deixe seu Recado