SMetal

Imprensa

Campanha Salarial 2022

Metalúrgicos aprovam pauta de reivindicações; confira todos os pontos

Votação híbrida aconteceu entre os dias 4 e 6; a pauta de reivindicações foi elaborada pela Federação Estadual dos Metalúrgicos e os sindicatos filiados será entregue às bancadas patronais em junho

Sexta-feira, 06 de Maio de 2022 - 20:00 - Atualizado em 07/06/2022 14:55
Imprensa SMetal

5_maio , 2022, imprensa, Foguinho/Imprensa SMetal
Votação presencial aconteceu na noite desta sexta-feira, 6, na sede do SMetal Foguinho/Imprensa SMetal
A pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2022 foi aprovada pelos trabalhadores da base do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal). A assembleia foi realizada de forma híbrida – online e presencial – entre os dias 4 e 6 de maio.

A votação no Portal SMetal recebeu 2.384 votos (95,74%) favoráveis às propostas elaboradas pela Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM/CUT) e os 13 sindicatos filiados à entidade (confira abaixo). Outros 31 (1,24%) trabalhadores votaram contra e 75 (3,01%) optaram pela abstenção.

Na votação presencial, que aconteceu na sede do SMetal na noite de sexta-feira, 6, a aprovação foi unânime. O secretário geral do Sindicato, Silvio Ferreira, destaca a importância das assembleias. “Nós temos a missão de representar os metalúrgicos e isso é feito de forma democrática, ouvindo o que eles almejam. A votação híbrida – eletrônica e presencial – amplia a participação dos trabalhadores e são fundamentais para termos o respaldo da categoria nas negociações que se iniciam no próximo mês”.

Grande desafio

Leandro Soares, presidente do SMetal, ressalta que a Campanha Salarial de 2022 não será fácil. “Com o (des)governo de Bolsonaro, o Brasil passa por momento de aperto, com a inflação cada  vez mais alta e isso impacta em tudo, principalmente no bolso da sociedade. A gasolina, o gás de cozinha e alimentação nunca custaram tanto e consomem quase todo o salário dos trabalhadores”.

5_maio , 2022, imprensa, Foguinho/Imprensa SMetal
Leandro Soares, presidente do SMetal, destacou que a Campanha Salarial 2022 será desafiadora Foguinho/Imprensa SMetal

Ele destaca ainda que a data-base dos metalúrgicos, que fecha em setembro, deve ser superior aos 10%. “Costumo dizer que se fosse um jogo de futebol, nós já estamos perdendo de 7 a 0. Isso porque, desde setembro do ano passado, nosso salário já desvalorizou 7,54%, um dos maiores índices que registramos. As negociações com as bancadas patronais nunca são fáceis e com esses números ficam ainda mais desafiadoras. Mas com a unidade e mobilização da categoria, vamos firmes e temos o compromisso de brigar pela nossa valorização”.

O secretário de finanças da FEM/CUT, Adilson Faustino (Carpinha), que também é dirigente do SMetal, enfatiza a importância da unidade. “No início de junho realizaremos a entrega das pautas para as bancadas patronais e iniciamos o processo de negociações. É um momento de muito trabalho em prol dos metalúrgicos e metalúrgicas. A categoria precisa estar preparada para apoiar a Federação e os sindicatos para que possamos, juntos, construir acordos que atendam as nossas reinvindicações”.  

Histórico vitorioso

No ano passado, a data-base dos metalúrgicos teve a inflação acumulada em 10,42%. Durante o processo de negociação, a FEM/CUT e os sindicatos filiados enfrentaram sucessivas tentativas das bancadas patronais em fechar o reajuste abaixo do índice inflacionário e dividido em até três vezes.

A forte atuação da Federação e do SMetal garantiu que os acordos fechados na base de Sorocaba fossem iguais ou superiores a inflação, além de garantir as Convenções Coletivas de Trabalho, que protegem importantes direitos. Ao todo, 96% da categoria teve acordo ou convenção coletiva e reajuste garantidos.

Confira os pontos aprovados para Campanha Salarial 2022

Slogan da Campanha Salarial 2022:

“Juntos pela Reconstrução dos Direitos, dos Salários, da Democracia e do País”

Eixos:

1.       Reposição da Inflação;

2.       Aumento Real;

3.       Valorização dos Pisos;

4.       Valorização da CCT;

5.       Manutenção dos Direitos;

6.       Reindustrialização do País.

Pautas Cheias (cláusulas econômicas e sociais) para os Sindicatos Patronais do SINIEM; G8.II; G8.III; G2 e G10:

1.       Renovação das cláusulas sociais pré-existentes com algumas alterações, (a exemplo do auxílio creche – doença profissional – garantias em vias de aposentadoria; etc.).

2.       Renovação da Cláusula de Seguro de Vida e Auxílio Funeral com alterações.

3.       Aprimoramento da Cláusula de Custeio da negociação coletiva.

4.       Inclusão de cláusulas novas gerais.

5.       Correções Salariais pelo índice da inflação acrescidos de aumento real.

Pautas Parciais (somente cláusulas econômicas) para os Sindicatos Patronais do SINDICEL; SINDRATAR; SIFESP; G3 e SINDIFUPI:

1.       Renovação da Cláusula de Seguro de Vida e Auxílio Funeral com alterações.

2.       Aprimoramento da cláusula de custeio da negociação coletiva.

3.       Inclusão de cláusulas novas específicas. (A exemplo de redução de jornada; ultratividade e valorização das normas coletivas; nacionalização de componentes e equipamentos etc.).

4.       Correções salariais pelo índice da inflação acrescidos de aumento real.

Deixe seu Recado