SMetal

Imprensa

Campanha Salarial 2021

INPC acumula 6,28% em sete meses; SMetal vai buscar aumento real

Faltam cinco meses para fechar o índice total de perdas da categoria desde a última data-base, utilizado de parâmetro na negociação da Campanha Salarial; SMetal vai cobrar o que cabe aos trabalhadores

Quarta-feira, 14 de Abril de 2021 - 09:25 - Atualizado em 14/04/2021 10:03
Imprensa SMetal

data base, smetal, sindicato, inflação, campanha, salarial, dieese, Elaboração Dieese Metalúrgicos de Sorocaba
Comportamento do INPC dos últimos sete meses; data-base dos metalúrgicos é 1º de setembroElaboração Dieese Metalúrgicos de Sorocaba

Faltando apenas os índices dos próximos cinco meses para chegarmos ao total de perdas da categoria desde a última data-base – dia 1º de setembro de 2020 – a inflação está acumulada em 6,28%. No mesmo período do ano passado, o total acumulado estava em 2,31%.

Divulgado na última sexta-feira, dia 9, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC/IBGE) do mês de março registrou aumento de 0,86%. Esse índice acumulado em 12 meses é utilizado de parâmetro nas negociações de Campanha Salarial realizadas pela Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT/SP) e sindicatos filiados, como é o caso de Sorocaba e Região (SMetal), com as bancadas patronais.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Leandro Soares, a Campanha Salarial de 2021 será bastante desafiadora. “Os patrões devem utilizar da pandemia da Covid-19 como desculpa para oferecer índices baixos de reajuste e, até menos, negar aumento nos salários”, critica.

Porém, ele lembra que, diferente de 2020, neste ano, quando o Sindicato procurou as empresas da categoria para negociar medidas para suspender a produção temporariamente, com o objetivo de proteger os trabalhadores na pior fase da pandemia, a reposta foi negativa.

“Se os patrões decidiram colocar o lucro acima da vida de seus funcionários, nada mais justo que a ‘fatia do bolo’ seja repartida com quem está arriscando a sua da saúde e a de seus familiares diariamente. Vamos lutar para garantir um reajuste digno, com aumento real, aos trabalhadores da categoria”, enfatiza Leandro.

O secretário de finanças e dirigente do SMetal, Adilson Faustino (Carpinha), ressalta que, diferente do que muitos trabalhadores acreditam, o reajuste conquistado nas Campanhas Salariais da categoria não é obrigatório e a mobilização dos metalúrgicos é uma importante ferramenta destravar as negociações. 

“Com as cláusulas sociais garantidas até 2022 para grande parte dos trabalhadores, o foco nas negociações deste ano será questão econômica. Só que isso não quer dizer que será tranquila, muito pelo contrário. Desde já, esperamos poder contar com a disposição de luta da categoria para buscarmos aumento real”, destaca.

INPC de março

O economista da subseção do Dieese dos Metalúrgicos de Sorocaba, Fernando Lima, esclarece que, apesar do ritmo de aumento de preços de alimentos ter diminuído no mês de março, os principais itens que explicam o aumento de 0,86% estão no grupo transportes. “Esse índice deve-se, principalmente, à alta nos preços dos combustíveis (11,23%), pneus (3,27%) e do seguro de veículo (2,62%)”, exemplifica.

Deixe seu Recado