SMetal

Imprensa

Trabalho

Indústrias da região demitem menos em agosto

Sexta-feira, 16 de Setembro de 2016 - 09:17 - Atualizado em 27/12/2016 15:14
Jornal Cruzeiro do Sul/ Marcelo Roma

,
De acordo com os dados da pesquisa da Depecon, foram 200 em julho e 100 em agosto
As demissões nas indústrias em 48 municípios da regional de Sorocaba do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) vêm diminuindo mensalmente. Foram 200 em julho e 100 em agosto. O volume é bem menor que junho, quando foram desligados 1.850 trabalhadores na região. No Estado porém, houve aumento de 6 mil em julho para 11 mil em agosto.

Os dados são da pesquisa de Nível de Emprego do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), divulgada ontem. No ano, o acumulado na região de Sorocaba é de uma queda de aproximadamente 4.900 postos, de acordo com o Ciesp. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de 10.450 empregos a menos.

A redução de 100 vagas é considerada pequena, se mostrando quase estável, e a expectativa -- pelo menos para a região de Sorocaba -- é que o nível de emprego possa voltar ter saldo positivo nos próximos meses, a partir de uma recuperação gradual da economia.

O 1º vice-diretor regional do Ciesp, Erly Domingues de Syllos, cita a diversidade da indústria em Sorocaba e região como fator importante para as dispensas menores do que em outras regiões do Estado. "Se tivéssemos somente autopeças e máquinas estaríamos em maiores dificuldades", observa. Ele ressalta o desempenho das indústrias voltadas às energias renováveis, agronegócio e alimentos. Segundo Syllos, "o empresário tem confiança no novo governo, mas espera por resultados."

Por segmentos, houve variações positivas em confecção de artigos de vestuário e acessórios (8,65%) e produtos têxteis (1,29%) em agosto, que evitaram que as perdas fossem maiores no resultado geral. Por outro lado, as principais variações negativas foram em máquinas e equipamentos (-4,28%) e veículos automotores e autopeças (-0,81%).


No Estado

A indústria paulista fechou 11 mil postos de trabalho em agosto, conforme o Ciesp. Em julho, tinham sido 6 mil. Das 36 regiões do Estado consideradas no levantamento, 28 apresentaram variação negativa no nível de emprego em agosto, quatro registraram aumento de vagas, e quatro ficaram estáveis.

Dos 22 segmentos industriais da pesquisa, 73% (16) registraram queda do nível de emprego, com destaque para produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (-2.187 postos); produtos alimentícios (-1.981 postos) e produtos de borracha e de material plástico (-1.624 postos). Três setores ficaram estáveis e outros três apresentaram variação positiva no mês de agosto.

O diretor titular do Depecon, Paulo Francini, afirma que resultado da pesquisa indica que não houve alteração no mercado em relação à oferta de empregos na indústria. "É uma continuidade, um sinal de que o emprego continuará caindo e, infelizmente, isto deve prosseguir até o final do ano", diz ele, conforme a assessoria de imprensa do Ciesp.

Francini acredita que ainda não é possível enxergar nitidamente uma tendência de recuperação do cenário. Ele lembra que o emprego é sempre a última variável a sofrer e a se recuperar dos efeitos de uma crise econômica. "Nós ficamos ansiosos por querer enxergar a luz no final do túnel. Por enquanto estamos vendo apenas redução da taxa de queda", conclui.

Deixe seu Recado