SMetal

Imprensa

Covid-19

Grupo Prioritário: SMetal cobra vacina para trabalhadores da indústria

Trabalhadores industriais são do grupo prioritário no Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19; Sindicato quer união com as empresas para cobrar do prefeito Manga a inclusão do setor no cronograma de vacinação

Sexta-feira, 11 de Junho de 2021 - 11:05 - Atualizado em 11/06/2021 11:43
Imprensa SMetal

vacina, sorocaba, vacinação, covid, sorocaba, SECOM Prefeitura de Sorocaba
Segundo a Prefeitura, de um total de 306.647 doses de vacinas contra a Covid-19 recebidas em Sorocaba, 276.767 doses foram aplicadas até o momentoSECOM Prefeitura de Sorocaba
O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) vai convidar as empresas da categoria instaladas em Sorocaba para criar uma ampla frente com o intuito de cobrar do prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) que cumpra o plano de imunização do governo federal e reconheça a indústria como grupo prioritário para aplicação das vacinas contra Covid-19.

Em janeiro deste ano, o Governo Federal divulgou uma lista com os públicos prioritários para a vacinação. Elaborada pelo Ministério da Saúde, a listagem estabeleceu 28 categorias prioritárias de pessoas, entre elas, os trabalhadores industriais (veja a lista completa aqui).

O presidente do SMetal, Leandro Soares, afirma que diversos municípios estão vacinando os trabalhadores e trabalhadoras da indústria no Brasil afora, porém, em Sorocaba, não há previsão de imunização para o grupo, que é considerado “essencial” pelo próprio prefeito Manga.

“Quando a prefeitura decretou a antecipação dos feriados na cidade, deixou de fora os mais de 50 mil trabalhadores da indústria alegando que o serviço exercido por eles era essencial e não podia parar. E se o trabalho é essencial, por que a imunização não?”, questiona.

De 194.822 empregados com carteira assinada em Sorocaba, 50.646 trabalham na indústria. Desses, 32.493 são da categoria metalúrgica. “A indústria representa 26% dos trabalhadores sorocabanos e o prefeito sabe muito bem a importância do setor para o desenvolvimento local e regional. O que queremos é que esse reconhecimento chegue ao trabalhador como vacina”, assegura Leandro.

O secretário-geral do Sindicato, Silvio Ferreira, cita ainda como exemplo a cidade de Gravataí, no Rio Grande do Sul, que iniciou a imunização dos trabalhadores da indústria nesta quinta-feira, dia 10. “A principal vocação no município também é industrial e, inclusive, possui unidades de importantes multinacionais que estão instaladas aqui, como as autopeças Gestamp e Dana”.

O dirigente sindical lembra ainda que a CPI da Covid tem apontado para o descaso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na compra das vacinas. “O Sindicato sempre defendeu a vacinação para todos, sem categorizar. Mas diante dos fatos apresentados pela investigação do Senado, não podemos nos furtar de defender a categoria que fomos eleitos para representar”.

E completa: “milhões de doses foram oferecidas ao governo brasileiro, inclusive com preço mais baixo do que pagaram outros países. Se essas doses tivessem sido compradas, não precisaríamos lutar por grupos prioritários. Estaríamos com a vacinação avançada e retomando a vida de antes, como vemos mundo afora. Mas Bolsonaro, como sempre, tratou o caso com desdém e estamos atrasados no processo de imunização”.

Diante disso, Silvio afirma que o Sindicato vai propor aos representantes das empresas da categoria a criação de uma ampla frente que se empenhe na disponibilização da vacina da Covid-19 para os seus funcionários. “Esses trabalhadores, especialmente os que exercem suas funções na produção e não tem como levar o maquinário para casa, se colocam em risco todos os dias para produzir lucros das empresas, o que faz a economia local girar. Com a crise em que vivemos, são eles que estão mantendo o país em pé”, explica.

A diretoria do SMetal enfatiza que apesar da atual situação exigir a cobrança de grupos prioritários, a vacinação para toda população brasileira continua sendo uma importante pauta. O papel de “Sindicato Cidadão” é também pensar a vida fora das fábricas. Por isso, a luta para a vacina chegar a todos, sem distinção, continua.

Vacinação em Sorocaba

Segundo divulgado pela prefeitura de Sorocaba na noite da última quinta-feira, 10, de um total de 306.647 doses das vacinas contra a Covid-19 recebidas pela cidade – AstraZeneca (Oxford)  e CoronaVac (Sinovac) –,  276.767 doses foram aplicadas na população. Portanto, neste momento, há cerca de 30 mil doses disponíveis na cidade.

Além disso, em entrevista coletiva realizada na manhã de quinta-feira, dia 10, a Prefeitura informou que há a expectativa de que doses da vacina da Pfizer cheguem a Sorocaba na próxima semana, o que deve acelerar a vacinação na cidade.

Deixe seu Recado