SMetal

Imprensa

Não cumpriu

Geraldo Alckmin quebra promessa e quer implantar pedágio na SP-264

Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2016 - 17:19 - Atualizado em 27/12/2016 14:31
Imprensa SMetal

,
Geraldo Alckmin garantiu que a duplicação da rodovia João Leme dos Santos não implicaria na instalação de pedágio mas anunciou instalaçao de 5 na RMS
Ao contrário de promessa feita em 2011, de que não seria implantado pedágio na rodovia João Leme dos Santos (SP-264), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou este mês que vai implantar em 2017 uma praça de pedágio na estrada, que ainda está sendo duplicada. Além dessa, o tucano quer implantar outros quatro novos pedágios na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS).

A promessa do tucano foi feita no 1° de abril de 2011 e registrada em reportagem pelo Jornal Cruzeiro do Sul, na qual ele descarta o pedágio na estrada que faz a ligação de Sorocaba a Salto de Pirapora e cuja duplicação estava, mais uma vez sendo anunciada pelo governador.

A primeira etapa de duplicação da SP-264, após anos de adiamentos e atrasos em obras, tem previsão de inauguração em março e a segunda, em abril deste ano. A rodovia liga Sorocaba a Salto de Pirapora.

Os outros pedágios que o governador pretende instalar ma RMS são nas rodovias Waldomiro Correa de Camargo (Sorocaba-Itu), Raimundo Antunes Soares (Votorantim-Piedade), Francisco José Ayub (Salto de Pirapora-Pilar do Sul) e Nestor Fogaça (Pilar do Sul -São Miguel Arcanjo).

Só nesta nova concessão de pedágios pelo governo do estado, serão implantados 25 novos pedágios no interior e no litoral de São Paulo, que serão acrescentados aos 153 que já estão em funcionamento.

O governo estadual de Alckmin prevê quatro novos lotes de concessão, num total de 2.266 quilômetros.

De acordo com reportagem do jornal Cruzeiro do Sul, a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) informou, por nota, que fará consulta pública até o final do primeiro semestre deste ano para avaliação do projeto de concessão do Lote B, no qual está incluída a SP-264. "É importante ressaltar que as localizações das praças de pedágio apresentadas nas audiências públicas são apenas referências, uma vez que os estudos sobre a localização estão em andamento e serão detalhados na consulta pública. Nessa fase, a sociedade civil organizada poderá fazer sugestões", diz a nota da Artesp.

Deixe seu Recado