SMetal

Imprensa

Cláusula dos acidentados

Garantia vale em todas as empresas do ramo

Terça-feira, 08 de Setembro de 2015 - 16:03 - Atualizado em 27/12/2016 14:12
Imprensa SMetal

,
Os metalúrgicos de Sorocaba sempre tiveram participação importante nas lutas da FEM por reajustes salariais e pelas cláusulas sociais
*Texto publicado originalmente na Folha Metalúrgica nº 804 - edição especial sobre a cláusula dos acidentados

A FEM/CUT negocia com seis bancadas patronais em toda campanha salarial: G2, G3, G8, G10, Fundição, Esquadrias. Dessa forma, as Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) valem para todas as 15 bases metalúrgicas no estado, incluindo a região de Sorocaba.

Já as montadoras de veículos têm negociado separadamente a Convenção Coletiva de Trabalho com os respectivos sindicatos da região onde estão instaladas. Em todos os casos, nos grupos e nas fabricantes de veículos, a cláusula do acidentado está incluída na CCT há muitos anos.

Apesar de ser uma cláusula conquistada pelos sindicatos de metalúrgicos da CUT desde a década de 80, em toda campanha salarial os patrões tentam abolir essa garantia. Mas com a mobilização, todos os anos a cláusula é mantida nos acordos da categoria.

Os metalúrgicos de Sorocaba sempre tiveram participação importante nas lutas da FEM por reajustes salariais e para manter e até ampliar as cláusulas sociais da CCT.

Atualmente, três diretores do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba (SMetal) fazem parte da direção da FEM, Adilson Faustino, Valdeci Henrique e Kelly Carmo.

Leia mais:

Somente a CCT garante estabilidade a acidentados e lesionados

Confira a diferença entre as garantias do INSS e da CCT

CCT garantiu 25 reintegrações em 3 anos

Saiba porque as cláusulas sociais estão sendo negociadas

O que é uma Convenção Coletiva de Trabalho

Apenas os metalúrgicos da CUT ainda têm a cláusula

Deixe seu Recado