SMetal

Imprensa

Campanha Salarial

FEM e G10 iniciam negociação nesta segunda-feira

Sábado, 15 de Agosto de 2015 - 14:14 - Atualizado em 27/12/2016 14:07
Imprensa FEM/CUT

,
Na região de Sorocaba, desde a semana passada o SMetal tem realizado assembleias de mobilização em fábricas de todos os setores patronais
A Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT-SP (FEM)  começa nesta segunda-feira (17) a negociação da Campanha Salarial com a bancada do Grupo 10, que reúne os setores de lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação e material bélico, entre outros, às 15h, na sede da entidade patronal, 11º andar - sala 1110, na FIESP. Este era o último Grupo que faltava agendar negociação.

Do total de 200 mil metalúrgicos em Campanha Salarial na base da Federação no Estado, 11% trabalham nos setores do G10.

A Federação já iniciou as negociações com os setores patronais dos Grupos 2, 3, 8, Fundição e Estamparia. Até agora, as rodadas estão tratando das cláusulas sociais, principal destaque na Campanha Salarial deste ano.

"Esperamos que o G10, assim como nas demais bancadas patronais, avance na nossa pauta de reivindicações. Também reforçaremos o slogan da nossa Campanha: Nenhum direito a menos", frisa Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP.

Próximas rodadas da FEM
Depois do G10, a Federação continua as negociações na quinta-feira (20) com os Grupos 2, às 10h e 8, às 14h, ambas nas sedes das entidades patronais na FIESP e finalizam na sexta-feira (21) com a Fundição, às 10h, no Sifesp e logo à tarde, às 14h, com o Grupo 3, na sede do Sindipeças. O calendário está sujeito a alterações.

Principais reivindicações
Os metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo aprovaram como principais bandeiras de lutas: 40 horas semanais; a reposição da inflação e aumento real; a unificação e valorização dos pisos e a valorização das cláusulas sociais. O slogan da Campanha é "Nenhum Direito a Menos e Mais Avanços Sociais".

As cláusulas sociais serão o destaque. Foram apresentadas mais de 30 contribuições que vieram das Plenárias Regionais realizadas em Monte Alto, Itu e Taubaté que propõem melhorias nas cláusulas pré-existentes (que estão em vigor nas Convenções Coletivas de Trabalho) e a inclusão de novos direitos. "Queremos uniformizar as nossas cláusulas pelo o que temos de melhor em cada grupo", explica Luizão,presidente da Federação.

Perfil dos setores metalúrgicos base FEM-CUT/SP
A Federação negocia com seis bancadas patronais: Grupo 2 (máquinas e eletrônicos); Grupo 3 (autopeças, forjaria, parafusos); Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração, equipamentos ferroviários, rodoviários entre outros); Grupo 10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros); Estamparia e Fundição.

A data-base do ramo metalúrgico cutista é 1º de setembro e estarão em Campanha aproximadamente 200 mil trabalhadores na base da FEM no Estado.

Deixe seu Recado