SMetal

Imprensa

Cultura popular

Escolas de Sorocaba resistem para não deixar o Carnaval de rua acabar

As escolas Unidos do Cativeiro, Furiosa Real, Gaviões da Fiel, Mocidade Independente e Terceiro Centenário desfilarão no sambódromo de Sorocaba

Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018 - 11:35 - Atualizado em 19/01/2018 11:51
Imprensa SMetal

carnaval, rua, marcelo, formosa, paranazinho, mocidade, Divulgação
Os componentes e foliões da Mocidade ensaiam no espaço do Paranazinho, na Vila Formosa, nesta sexta-feira, às 20h30.Divulgação
Este ano apenas cinco escolas de samba vão desfilar na avenida engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, em frente à Prefeitura. Entre elas, a Mocidade Independente, que ensaia na Vila Formosa, zona norte da cidade.

Em entrevista à imprensa SMetal, o presidente da escola Marcelo Mello, que é músico, afirma que trabalha o ano todo para viabilizar o desfile no Carnaval. Afinal, há 30 anos ele participa dessa grande festa da cultura popular, que se transformou em sua grande paixão.

A Mocidade tem apenas dois anos em Sorocaba. Marcelo é de Itu e tem longo histórico em carnavais, como ter sido intérprete em São Paulo. A família da esposa é sorocabana e como ele tem a Mocidade Independente em Salto recebeu vários pedidos para que montasse uma escola aqui também para as comunidades de São Conrado/Vila Formosa.

Pedido atendido. Ano passado, a Mocidade estreiou no desfile no Parque das Águas, junto com outras nove escolas e cumpriu todas as normas do regulamento do Carnaval de rua.

 

Conhecimento de outras culturas

Para Marcelo, Carnaval é a resistência do samba. “É manter a cultura das nossas raízes”, afirma. Com o intuito de celebrar a união nessa festa popular a Mocidade não cobra a fantasia de seus 250 integrantes. E Marcelo diz que ainda tem algumas vagas para quem quiser desfilar na avenida. “Temos poucas vagas, mas há algumas na ala das crianças e na ala das baianas”.

O enredo deste ano da Mocidade em Sorocaba é a contribuição da civilização egípcia para a humanidade. A pesquisa foi feita por Marcelo e mais dois carnavalescos, um pesquisador de Sorocaba e outro artista plástico de Itu.

O povo poderá conhecer o mundo egípcio para além das pirâmides, por meio da medicina, das artes, da astrologia e outras áreas. Os carros alegóricos levarão os imperadores e faraós. O samba-enredo “Desde lá, veio do Egito” abordará as técnicas que contribuem para o nosso dia a dia, como o plantio e a conservação dos alimentos.

Na pesquisa histórica descobriram que a primeira cirurgia do coração foi feita no Egito dois mil anos antes de Cristo.

Para o presidente da escola a mudança do desfile para a avenida eng. Carlos Reinaldo Mendes é boa porque no Parque das Águas há sempre a instabilidade devido ao clima (chuvas).

 

AGENDE: Nesta sexta-feira, dia 19, a partir das 20h30, tem ensaio na Vila Formosa, no espaço de treinamento do time Paranazinho. É aberto e vale conferir!

No próximo dia 28, a partir das 16h, as baterias e os sambas-enredos de cada escola serão apresentado em evento aberto no Mercado Distrital, na Vila Fiori.

Deixe seu Recado