SMetal

Imprensa

Manifesto

Equipe de documentário exibido na UFPE se solidariza com os estudantes

Quarta-feira, 01 de Novembro de 2017 - 16:00 - Atualizado em 03/11/2017 14:03
Imprensa SMetal

documentário, Alexandre, vive, porque lutamos, UFPE, Divulgação
O documentário tem 50 minutos e foi produzido em Sorocaba com apoio da Lei Municipal da CulturaDivulgação
Nesta quarta-feira, dia 1, o documentário “Porque Lutamos! Resistência à ditadura militar”, que conta a história do estudante sorocabano Alexandre Vannucchi Leme, foi citado em diversos jornais e blogs do país devido à confusão ocorrida durante sua exibição na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na sexta-feira, 28 de outubro.

Estudantes do Comitê Contra o Golpe da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) decidiram exibir o documentário em contraponto à exibição de outro filme, “O Jardim das Aflições”, que retrata ideias do filósofo conservador Olavo de Carvalho, que além do individualismo, prega o racismo, critica os movimentos homossexuais e de gênero.

O confronto ocorreu ao final das exibições, que ocorreram simultaneamente. O Comitê Contra o Golpe da UFPE divulgou carta (leia aqui) explicando o ocorrido e destacou que havia pessoas de movimentos de direita, fora da universidade, durante o evento.

A equipe sorocabana que produziu o documentário enviou um manifesto de solidariedade aos estudantes da UFPE que lutam pela democracia, contra discursos de ódio disseminados por gurus da direita.

 

 

Repercussão:

Viomundo

Folha de São Paulo

Gazeta do Povo

Estadão

 

Confira abaixo o manifesto:

  

Aos estudantes da UFPE

 

Solidariedade aos que resistem à barbárie

 

Repudiamos os discursos de ódio e de perseguição aos movimentos sociais, aos movimentos negros, de gênero, difundidos pelos fãs de Olavo de Carvalho e de Bolsonaro

Que tempos são esses em que é preciso ainda repudiar o fascismo, o preconceito de gênero, a perseguição aos negros e homossexuais? Que tempos são esses, nos quais é preciso ressurgir as bandeiras de luta pelo retorno à democracia, nos quais se banalizam os apelos pelos Direitos Humanos?

 Tempos em que figuras como Olavo de Carvalho e Bolsonaro, que atiram contra uma sociedade democrática se tornam referências de alguns jovens. Discursos pelo retorno da ditadura voltam a ressoar.

Por isso, é importante e salutar o contraponto, a resistência ao conservadorismo que asfixia e mata a saúde do povo, que congela os investimentos sociais por 20 anos, que prega e libera a escravidão, que boicota a ciência, que retira direitos trabalhistas, que difama a arte, que censura a consciência política.

Onde houver um movimento reacionário haverá centenas de movimentos progressistas, formados por lutadores, que como Alexandre Vannucchi Leme perseguem a esperança, ousam sonhar por outro Brasil, sem retrocessos e mais fraterno.

Nossa solidariedade a todos os estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) que fazem brotar os anseios por uma nova sociedade. Anseios que ressoam para que num futuro não muito distante a voz torne a fluir, o retrocesso acabe, para que a sociedade caminhe por igualdade e justiça verdadeira, não comprada. Para que o Brasil supere mais esse golpe e que as universidades sejam sempre locais de resistência aos golpes.

  

Equipe do documentário “Porque Lutamos! Resistência à Ditadura Militar”

 

Fernanda Ikedo, (autora e diretora)

João Leopoldo, Marcos Boi, Maurício Toco (músicos)

Nanaia de Simas (narradora)

Juca Mencacci (cinegrafista)

Deixe seu Recado