SMetal

Imprensa

Brasil

Em agosto, 49% dos reajustes salariais ficaram abaixo da inflação

Dieese aponta que, no período de janeiro a agosto de 2022, só 20,5% dos acordos negociados conquistaram reajuste acima da inflação; data-base dos metalúrgicos tem 8,83% de perdas acumuladas em um ano

Quarta-feira, 21 de Setembro de 2022 - 12:35
Imprensa SMetal

9-setembro, 2022, imprensa, Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Metalúrgicos tiveram 8,83% de perdas com a inflação nos últimos 12 meses Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Em agosto, 49% dos reajustes salariais ficaram abaixo da inflação do período. Os dados são preliminares, foram compilados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e divulgados nesta quarta-feira, 21.

Ainda segundo o levantamento, 51% das negociações coletivas que foram finalizadas até o início de setembro tiveram ao menos a reposição salarial pela inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Desse total, 27,5% conquistaram aumento real, enquanto 23,5% registraram resultados iguais ao índice inflacionário. O restante, 49%, não conseguiu repor a inflação.

Reajustes parcelados

A pesquisa do Dieese revela que 9,4% dos reajustes pagos em agosto foram parcelados em duas ou mais vezes. O resultado é superior ao registrado em julho, quando 8,9% dos acordos tiveram o pagamento parcelado.

Resultados acumulados em 2022

Ao todo, em 2022, apenas 20,5% dos acordos negociados conquistaram reajuste acima da inflação. Outros 36,4% fecharam a data-base com a reposição do INPC e 43,2% tiveram perdas salariais.

Campanha Salarial 2022

Os metalúrgicos da base da Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM-CUT/SP) tiveram 8,83% de perdas com a inflação em 12 meses, considerando setembro de 2021 e agosto de 2022.

Até o momento, as bancadas patronais não apresentaram propostas que atendam às reivindicações da categoria. Essas propostas já foram recusadas pela FEM-CUT/SP e pelo SMetal, que intensificou a mobilização nas portas das fábricas. Para garantir avanços, é preciso que os trabalhadores também votem e mostrem para os patrões que estão dispostos a lutar pela valorização. A assembleia acontece na próxima semana de forma híbrida - presencial e eletrônica. 

 "Os metalúrgicos aprovaram a pauta de reivindicações que busca a valorização salarial e a manutenção dos direitos. Com essas diretrizes estivemos negociando fortemente com os empresários e, a partir de agora, entramos num momento decisivo da Campanha Salarial, no qual a categoria vai decidir os rumos que iremos tomar", enfatiza Silvio Ferreira, presidente interino do SMetal. 

Para ficar por dentro de todas as informações da Campanha Salarial, acesse nosso canal especial: smetal.org.br/canais/campanha-salarial-2022

Deixe seu Recado