SMetal

Imprensa

Em defesa dos Direitos

Eixos da Campanha Salarial 2019 são debatidos em plenária da FEM-CUT

Segunda-feira, 10 de Junho de 2019 - 16:03 - Atualizado em 10/06/2019 17:52
Imprensa SMetal

campanha, salarial, pauta, reivindicações, fem, , Foguinho/Imprensa SMetal
A pauta aprovada pelos dirigentes sindicais no sábado, dia 8, será levada para deliberação também dos trabalhadores da baseFoguinho/Imprensa SMetal
A Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT/SP) realizou no último sábado, dia 8, em São Carlos, uma plenária estatutária para debater e aprovar a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2019. A data-base da categoria é 1º de setembro.

Com a participação de dirigentes de Sindicatos ligados à Federação em todo o Estado, as sugestões e eixos deliberados na plenária serão levados para aprovação dos trabalhadores em assembleias nas bases.

Os eixos aprovados foram: reajuste salarial pelo INPC mais aumento real; pela manutenção e aplicação da CCT; por respeito às entidades sindicais; contra o fim das NRs (Normas Regulamentadoras) e pela redução da Jornada de Trabalho sem redução de salário.

O presidente da FEM/CUT, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, lembrou que como alguns grupos fecharam Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) por dois anos, neste ano, serão elaboradas dois tipos de pautas de reivindicações. “No Sindicel, Sindratar, Sifesp, Grupo 2 e Grupo 3, teremos uma pauta parcial, com foco nas cláusulas econômicas. Já nos demais grupos patronais, serão negociadas também as cláusulas sociais por dois anos”, explicou.

fem, luizão, campanha, salarial, carteira, plenária, Foguinho/Imprensa SMetal
Segundo Luizão, presidente da FEM-CUT, o combate à carteira verde amarela, proposta pelo governo Bolsonaro, também terá destaque na Campanha Salarial de 2019Foguinho/Imprensa SMetal
Em defesa dos direitos

O combate à carteira verde amarela, proposta pelo governo Bolsonaro (PSL), também terá destaque na Campanha Salarial deste ano. “Além de todos os ataques que os trabalhadores e o movimento sindical vêm sofrendo nos últimos dois anos, o atual governo propõe a criação de uma carteira de trabalho que retira direitos e submetem o trabalhador a situações precárias”, critica.

E afirmou: “isso não vamos aceitar. Nossa luta é e sempre será pela manutenção de direitos e por mais empregos dignos”. A pauta deve ser entregue às bancadas patronais no início de mês de julho.

Além de representantes dos 14 sindicatos filados à FEM-CUT/SP, a plenária contou com a participação do Secretário-Geral da CUT, João Cayres, que fez uma análise de conjuntura sobre a situação econômica e política do País, além de reforçar a importância da participação de Sindicatos do ramo metalúrgico na greve geral, nesta sexta-feira, dia 14 de junho.

INPC de Maio

Durante a plenária, a economista do Dieese Subseção FEM-CUT/SP, Caroline Gonçalves, apresentou dados sobre a situação econômica no País e da base de Federação, que irão nortear as negociações de Campanha Salarial 2019.

Segundo ela, na última sexta-feira, dia 7, foi divulgado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC/IBGE) de maio, que registrou variação de 0,15% na inflação.

“No acumulado desde setembro de 2018, última data-base dos metalúrgicos, a perda dos trabalhadores da categoria está em 3,05%; mas ainda faltam os índices de junho, julho e agosto”, afirma.

Na mesma época da última Campanha Salarial (setembro de 2017 a maio de 2018), o índice acumulado era de 1,93%.

Deixe seu Recado