SMetal

Imprensa

Opinião

Editorial: Reformas de uma ponte que leva à desigualdade

Quinta-feira, 25 de Julho de 2019 - 11:15 - Atualizado em 25/07/2019 11:39
Imprensa SMetal

previdência, reforma, pec, inss,, Henry Milleo/Agência Brasil
Para especialistas, Reforma da Previdência só aprofunda o abismo social e, ao invés de combater, só aumentam os privilégiosHenry Milleo/Agência Brasil
O Congresso Nacional está em recesso e deve retornar em 6 de agosto. A pauta principal que deve ser colocada em votação, em segundo turno, na Comissão Especial, é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera a Previdência Social.

Provavelmente, os congressistas devem colocar em votação também a quebra do “interstício” que, traduzindo, é dispensar mais cinco sessões que seriam necessárias antes de ir para a votação no segundo turno do plenário.

Com essa reforma a perda financeira para o trabalhador é substancial, vão ter que trabalhar mais, contribuir mais para ganhar um valor menor. Quem quiser ver como fica sua aposentadoria nas regras atuais comparada à reforma pode acessar a calculadora do Dieese, disponível na internet.

Quem lucra com a reforma, certamente, não é o país, pois já foi contestado por especialistas, desde ex-ministro da Previdência, até por economistas nacionais e internacionais que essa reforma só aprofunda o abismo social, ou seja, ao invés de combater, só aumentam os privilégios.

A pergunta que fica é: os senadores serão corresponsáveis pelo aumento da pobreza dos idosos e por esse aumento da desigualdade social?

Como fica nossa participação como cidadãos nessa farsa democrática, na qual o povo não é consultado nem tem representação de seus interesses? O país está sendo comandado por negociantes e não por políticos que querem preservar a dignidade de seu povo.

Por isso, colocam tudo à venda: o meio ambiente, a educação, as condições de trabalho, vendem nossas aposentadoria, seguindo o roteiro do documento “A Ponte para o Futuro”, que desde o golpe em 2016, começou a ser implantado no país. Ponte que só leva a um futuro caótico, sem direitos e que serve à política da morte.

Nunca se viu tantos escândalos sendo revelados. As denúncias embasadas em documentos e áudios do Intercept vêm mostrando a farsa montada entre o alto escalão do judiciário com a mídia e políticos que buscam aumentar privilégios de seu próprio clã.

Imagine em outras épocas um governo estar envolvido em tráfico com avião das Forças Armadas? Ou um outro presidente indicar seu próprio filho para ser Embaixador por saber fritar hamburguer? Ou levar o país a uma recessão, cavando um fosso social que pode está quase levando dois milhões de pessoas rumo à extrema pobreza?

Com essa realidade e ações que colocam os trabalhadores na berlinda, você acredita que conseguirá se manter no mercado de trabalho, de forma formalizada, para contribuir todo o tempo necessário para conquistar uma aposentadoria digna?

A História registra quem está promovendo essa exclusão social, assim como a História também registrou os governos populares democráticos que retiraram o país da miséria, que quitou a dívida com o FMI, e mesmo assim, incluiu milhares de jovens nas universidades, dando acesso do povo ao emprego e a obter sua própria moradia.

Resta saber a importância que damos à História e às nossas mínimas garantias de cidadania.

Deixe seu Recado