SMetal

Imprensa

Economia

Dieese: 54,5% dos reajustes salariais de maio ficaram abaixo da inflação

No ano, 44,7% das negociações não conseguiram repor integralmente o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC); data-base dos metalúrgicos fecha em setembro e soma 9,15% de perdas com a inflação

Quarta-feira, 22 de Junho de 2022 - 15:00
Imprensa SMetal

6_junho, 2022, imprensa, José Cruz/Agência Brasil
Data-base dos metalúrgicos já acumula 9,15% de perdas com a inflação José Cruz/Agência Brasil
Mais da metade dos reajustes salariais de maio deste ano ficaram abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 54,5% das negociações com data-base no mês passado não conseguiram repor a inflação perdida no período.

O resultado representa o maior percentual de reajustes abaixo da inflação por data-base desde junho de 2021. Em 32,1% dos casos, os ganhos salariais foram iguais ao do INPC do período e 13,4% ficaram acima do índice.

De acordo com o Dieese, das negociações que tiveram reajuste acima do INPC, 90% apresentaram ganhos de até 0,5% a mais que a inflação. Já 18% dos casos registaram perdas de 0,5% e quase 45% fecharam entre 2% e 4% abaixo do INPC.

Além disso, cerca de 7% dos reajustes com data-base em maio serão pagos em duas parcelas ou mais, número pouco inferior ao registrado em abril (8,7%) e bem menor do que ocorreu em maio de 2021 (15,7%).

Ainda segundo o Dieese, em maio, cerca de 10% das negociações previram o pagamento de reajustes escalonados (pagamento de reajustes diferenciados segundo faixas salariais ou tamanho das empresas). O percentual é inferior ao observado em abril de 2022 (24,5%) e em maio de 2021 (16%).

Acumulados em 2022

Com o acréscimo das negociações da data-base maio, a proporção de reajustes abaixo do INPC-IBGE em 2022 subiu cerca de quatro pontos percentuais em relação ao apurado no levantamento anterior, atingindo agora a marca de 44,7% do total.

Houve também crescimento de um ponto percentual no número de reajustes iguais ao INPC-IBGE, que alcançaram o patamar de 32,9%. Já a proporção de reajustes acima da inflação caiu para 22,4% do total em 2022.

Campanha Salarial 2022

Nesse cenário, a Campanha Salarial 2022 dos metalúrgicos tende a ser desafiadora. Em nove meses, entre setembro de 2021 e maio deste ano, a data-base da categoria já acumula 9,15% de perdas com a inflação.

Para o presidente interino do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Silvio Ferreira, será preciso muita luta para garantir conquistas. “As negociações da Campanha Salarial nunca são fáceis, especialmente quando os índices de inflação estão altos. Este ano, devemos fechar a data-base acima dos dois dígitos novamente e temos que estar unidos e mobilizados para chegar ao reajuste que a categoria merece”.

Deixe seu Recado