SMetal

Imprensa

Copa do Mundo 2014

Copa trouxe quase 500 mil turistas e R$ 1 bilhão para a cidade de São Paulo

Do total, 299.322 turistas eram brasileiros, vindos de outras cidades e estados, e 196.547, estrangeiros. Cada um gastou em média R$ 3 mil. Expectativa é incentivar o turismo de lazer com a visibilidade do torneio

Sexta-feira, 11 de Julho de 2014 - Atualizado em 27/12/2016 12:59
Rede Brasil Atual

,
Raquel Verdenacci e Nádia Campeão ressaltam integração entre prefeitura e estado para realização da Copa
A cidade de São Paulo recebeu 495.859 mil turistas para a Copa do Mundo da Fifa. Pelo menos R$ 1 bilhão foram gastos no município, sede de seis jogos do campeonato. As informações fazem parte de um balanço preliminar da São Paulo Turismo (SPTuris), divulgado hoje (11), em entrevista coletiva.

Do total, 299.322 turistas eram brasileiros, vindos de outras cidades e estados, e 196.547, estrangeiros. Cada um gastou em média R$ 3 mil. De acordo com o prefeito Fernando Haddad (PT), o gasto para sediar o torneio ficou entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões, o equivalente ao custeio de eventos como carnaval e a Fórmula 1. A Copa do Mundo, porém, proporciona 15 vezes mais receita para a cidade.

"Os gastos ficaram dentro dos limites estabelecidos", disse Haddad. "A Secretaria de Finanças vai fazer análises econômicas sobre o arrecadado no evento. Vamos também acompanhar o impacto de médio e longo prazo no turismo, ao longo dos anos. Desejamos que com a Copa o turismo de São Paulo seja promovido."

Os jogos em São Paulo, que incluíram a abertura do evento e uma semifinal, contaram com um público de 375.593, uma média de 62 mil pessoas na Arena Corinthians (Itaquerão) por jogo. Delas, 57 mil foram ao estádio de metrô ou de Expresso Copa (trem da CPTM). Somando com o público que foi assistir aos jogos na Fifa Fun Fest, no centro, o número de espectadores atingiu 1 milhão.

Um dos maiores legados, no entanto, será a visibilidade que a cidade de São Paulo recebeu durante a Copa, e que pode vir a estimular o turismo, segundo a vice-prefeita, Nádia Campeão. "Será uma possibilidade de marcar a vocação turística da cidade e estimular o turismo de lazer, e não só de negócios. Nós temos muito para mostrar para os turistas, no campo da cultura, da gastronomia e do entretenimento", disse. Estudos mostram que o turismo aumenta em até 20% nas cidades-sede de Copas do Mundo em decorrência do evento.

Segundo a SPTuris, 73% dos turistas deram nota entre 7 e 10 para a realização do evento em São Paulo. Os principais elogios foram para a vida noturna da cidade e para a gastronomia. A movimentação de turistas nos centros de distribuição de ingressos foi considerada intensa e a visitação de museus, entre eles o do Futebol, cresceu em média 20%.

A expectativa da coordenadora executiva do Comitê Paulista da Copa, Raquel Verdenacci, é que o evento aumente o turismo também em outras cidades do estado que ganharam visibilidade ao receber delegações. Ao todo, pelo menos 450 jornalistas circularam por 12 municípios paulistas onde estavam hospedadas 15 seleções. A que ficou mais tempo no estado foi a da Costa Rica, que esteve em Santos, chegou às quartas de final e foi eliminada nos pênaltis pela Holanda, no último dia 5.

"A projeção das cidades paulistas era um objetivo que foi alcançado. Vamos acompanhar como esse movimento vai refletir em impactos econômicos e financeiros", afirmou Raquel. Em todo o estado, 15 campos de futebol e dois estádios foram reformados para atender a padrões internacionais de treinamento e dois novos hotéis foram construídos para a Copa do Mundo.

Outros legados importantes destacados pela vice-prefeita são a parceria entre governo municipal e estadual, destacada como fundamental para a realização do evento, e a infraestrutura construída na zona leste. Ela já conta com um complexo viário e com o Polo Institucional, que será concluído no segundo semestre com a instalação de uma unidade do Senai. A área tem rodoviária, Fórum Regional da Justiça, pavilhão de exposições, centro de convenções, hotel e o Parque Tecnológico de São Paulo - Leste.

Bem avaliados
O Comitê Especial para a Copa do Mundo (SPCopa), vinculado à prefeitura, e o Comitê Paulista da Copa, ligado ao governo do estado, realizaram um plano operacional de mobilidade, segurança e saúde durante a realização do evento na cidade, especialmente no entorno da Arena Corinthians e da Fifa Fan Fest.

Na Fifa Fan Fest, no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo, onde foram exibidos todos os jogos da Copa e onde houve muitos shows, o público atingido até a última quarta-feira (9) chegou 567.640 participantes, uma média diária de 24.680 pessoas. A lotação máxima permitida de 25 mil torcedores foi atingida nos dias em que a Argentina e o Brasil jogaram em São Paulo.

Para a realização do evento, a CET interditou as ruas Coronel Xavier de Toledo, perto da Avenida São Luís, e 7 de Abril, a Ladeira da Esplanada e o Viaduto do Chá.

A prefeitura promoveu outras exibições públicas de jogos do Brasil. A Praça do Samba, em Perus, o Parque Jacuí, em São Miguel Paulista, e a Praça João Tadeu Priolli, em Campo Limpo, contaram com a instalação de telões. Ao todo, os três eventos reuniram 37 mil telespectadores.

A vice-prefeita ressaltou que, durante o evento, houve resistência do setor privado para exibição dos jogos, o que resultou em uma concentração de pessoas em pontos específicos, como foi o caso da Vila Madalena, que recebeu em dias de jogos da seleção brasileira e de outras partidas realizadas na Arena Corinthians uma média de 50 mil pessoas. No dia em que o Brasil jogou contra a Colômbia, em Fortaleza, 4 de julho, o bairro recebeu 70 mil torcedores.

De acordo com Nádia, o contingente de pessoas não era esperado, e durante a realização do evento, foi preciso adotar estratégias de soluções imediatas. Em parceria com a Polícia Militar (PM), a prefeitura realizou o bloqueio de algumas ruas, proibiu estacionamentos em horário integral, fez o controle de acessos e efetuou ações de fiscalização visando a coibir o comércio irregular de ambulantes.

Inicialmente, o bairro foi equipado com 40 banheiros químicos, e durante a Copa mais 120 foram instalados. Além disso, foi preciso reforçar os serviços de limpeza, ambulâncias e direcionar a atuação dos funcionários do Psiu, para garantir o silêncio.

Dos turistas estrangeiros que chegaram a São Paulo, um em cada três era argentino. Para hospedar os que vieram de trailer e motor home a prefeitura colocou à disposição o sambódromo do Anhembi, na zona norte, e o autódromo de Interlagos, na zona sul. A área contou com a instalação de banheiros e sistema de segurança específico.

Com relação à saúde, a equipe médica que atuou durante os jogos na região do estádio contou com uma média de 320 profissionais, 14 ambulâncias e seis Unidas Rápidas de Atendimento com Motocicleta (Urams). Ao todo, de 12 de junho a 9 de julho, foram realizados 1.917 atendimentos à saúde relacionados com a Copa. Desses, 1.047 ocorreram dentro da Arena Corinthians e 870 na Fifa Fan Fest.

Deixe seu Recado