SMetal

Imprensa

Abaixo-assinado

Campanha pela Anulação da Reforma Trabalhista terá mutirão em Sorocaba

Quinta-feira, 05 de Outubro de 2017 - 09:52 - Atualizado em 05/10/2017 11:19
Imprensa SMetal

, Divulgação
Para participar é preciso preencher o formulário com nome completo, data de nascimento, título de eleitor e assinatura.Divulgação
A subsede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), juntamente com os sindicatos filiados, como o SMetal, deu início à coleta de assinatura pela Anulação da Reforma Trabalhista em Sorocaba.

A primeira ação pela cidade será neste sábado, dia 7, no bairro Parque São Bento. A concentração acontece partir das 9h, na praça principal, localizada da avenida Vinícius de Moraes.

A campanha tem o objetivo de coletar mais de 1,3 milhão de assinaturas no país (1% do eleitorado brasileiro), quantidade necessária para protocolar um Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP) pela revogação da nova legislação trabalhista na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Para participar é preciso preencher o formulário com nome completo, data de nascimento, título de eleitor e assinatura.

Além das ações nos bairros, os interessados em assinar o abaixo-assinado podem procurar os sindicatos filiados à CUT Sorocaba, como o SMetal, o Sindicato do Vestuário, o Sindicato dos Papeleiros e o Sindicato dos Rodoviários, para aderir à Campanha.

Mobilização

De acordo com o secretário de organização do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), Izídio de Brito, é preciso engajamento de toda sociedade para barrar tantos retrocessos.

“A população já percebeu que caiu num golpe, que inclusive tem participação ampla e clara de deputados da nossa cidade, como o Vitor Lippi. Um golpe que tem o único intuito de implantar uma agenda contra o trabalhador. Se não lutarmos, todos os nossos direitos duramente conquistados serão perdidos”.

Nas fábricas

A partir desta quinta-feira, dia 5, o SMetal estará coletando assinaturas também nas fábricas metalúrgicas. Para aderir à campanha, procure um representante do Sindicato com o número do título de eleitor. Onde não tem CSE, o Sindicato está negociando pontos fixos nas empresas para que o trabalhador possa participar.

Deixe seu Recado