SMetal

Imprensa

Nenhum direito a menos

Assembleias de mobilização dão o tom da Campanha Salarial 2019

Famílias de mais de 36 mil metalúrgicos da base do SMetal podem ficar sem os direitos garantidos pela Convenção Coletiva; patrões querem rediscutir cláusulas sociais até mesmo de fábricas que têm acordo de dois anos

Quinta-feira, 29 de Agosto de 2019 - 10:26 - Atualizado em 13/09/2019 15:00
Imprensa SMetal

campanha, salarial, smetal, direito, convenção, lixo,, Arte: Cassio Freire / Imprensa SMetal
Patrões endurecem as negociações e querem jogar fora os direitos garantidos pela Convenção Coletiva, até mesmo de fábricas que têm acordo de dois anosArte: Cassio Freire / Imprensa SMetal
“Somente a mobilização e unidade garantem conquistas”. Essa frase repetida diversas vezes pelos dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba (SMetal) nas portas das fábricas pode parecer clichê para alguns trabalhadores, porém reflete a realidade, especialmente em Campanhas Salariais da categoria dos últimos anos.

O presidente do SMetal, Leandro Soares, destaca que os ataques aos direitos vistos como “garantidos” pelos metalúrgicos vêm sendo cada vez mais intensos. “Se hoje temos um piso salarial acima dos demais, adiantamento dos salários e pelo menos a inflação em todas as datas-bases, é devido à força histórica da categoria metalúrgica e de um Sindicato e uma Federação combativos. Mas isso pode acabar a qualquer momento”, alerta.

Além das diversas ofensivas a tudo que se refere ao Direito do Trabalho promovidos pelos governos – Reforma Trabalhista, Minirreforma, terceirização irrestrita, entre outras - os patrões insistem em reduzir as cláusulas sociais e econômicas da Convenção Coletiva dos Metalúrgicos, mesmo em grupos onde há acordos por dois anos (G2, G3, Sindratar, Sindicel e Fundição).

“Infelizmente, nenhum direito, nem mesmo a inflação, estão garantidos. Por isso já iniciamos as assembleias de mobilização nas portas das fábricas. Precisamos nos unir para manter a última ferramenta em defesa dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras, que é a Convenção Coletiva”, afirma Soares.

Nos últimos dias, o Sindicato já realizou assembleias sobre a Campanha Salarial em diversas fábricas, como Schaeffler, Nipro, Metalac, Sanoh, Vossloh Cogifer, Barga, entre outras.

Saiba mais:

Os eixos da Campanha Salarial 2019 são: reposição integral da inflação mais aumento real; manutenção e a aplicação das
Convenções Coletivas; respeito às entidades Sindicais; contra o fim das NRs (Normas Regulamentadoras) e redução da jornada de trabalho sem redução de salário.

 

Confira abaixo alguns direitos de correm risco de acabar se a Convenção Coletiva não for renovada:

piso, adiantamento, salário, licença, estabilidade, adicional, noturno,, Divulgação
Confira alguns direitos de correm risco de acabar se a Convenção Coletiva não for renovadaDivulgação

Deixe seu Recado