SMetal

Imprensa

Sorocaba

Apagão afeta produção das indústrias

Quarta-feira, 08 de Junho de 2016 - 09:46 - Atualizado em 27/12/2016 14:49
Jornal Cruzeiro do Sul

,
Na ZF do Brasil, na manhã de ontem, apenas os funcionários do primeiro turno da produção trabalharam das 6h às 13h
O apagão que atingiu Sorocaba na tarde de anteontem também afetou a produção das indústrias e empresas de médio e grande porte instaladas na cidade. Segundo estimativa do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), ontem pelo menos oito empresas da região do Éden e do Cajuru dispensaram os trabalhadores devido à falta de energia, entre elas: Bosch, ZF, Metso, Kanjiko, CNH Case, Scórpios, Flextronics e a Toyota.

Na ZF do Brasil, na unidade Lenforder, que fica no Éden, na manhã de ontem apenas os funcionários do primeiro turno da produção trabalharam das 6h às 13h. Já o segundo turno, que começaria em seguida foi cancelado, e os funcionários liberados. Na Toyota, de acordo com o SMetal, a empresa funcionou com gerador na segunda-feira, e na tarde de ontem deveria dispensar os trabalhadores da produção, com retorno previsto para a tarde de hoje.

Ciesp

Segundo o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Regional Sorocaba, após às 15 horas, quando o fornecimento de energia elétrica foi interrompido, praticamente a maioria das indústrias encerrou a produção. E como não havia previsão de retorno, muitas empresas também cancelaram o expediente do horário noturno, e os funcionários foram liberados. A previsão do Ciesp é que as atividades do setor industrial estejam normalizadas e operando 100% a partir do final da tarde de hoje.

Segundo o 1º vice-diretor do Ciesp na cidade, Erly Domingues de Syllos, ontem algumas empresas e indústrias da cidade já estavam operando normalmente, principalmente nas regiões onde a energia elétrica foi restabelecida durante a madrugada. "As indústrias mais afetadas pelo apagão estão concentradas nos bairros do Éden e do Cajuru, onde as regiões continuavam sem energia", disse.

De acordo com Syllos, a orientação do Ciesp para as empresas associadas é para que otimizem o uso de energia elétrica até que o fornecimento seja restabelecido em sua totalidade pela concessionária. "Ainda não temos informações computadas sobre prejuízos no setor em função do apagão", afirma.

CPFL Piratininga

O diretor regional da CPFL Piratininga, Edson Amaral Júnior, informou que o corte no fornecimento nessa região ocorreu por se tratar de uma área mais industrial, e deste modo o impacto seria menor. E que o abastecimento de energia para as indústrias ainda não foi retomado, o que deverá ocorrer até o final do dia de hoje. A CPFL alega ainda que para os clientes residenciais dos bairros Cajuru e Éden, a perspectiva é de que a energia fosse retomada a partir das 19 horas de ontem.

Para o Ciesp, a medida tomada pela CPFL foi necessária, já que caso as empresas estivessem operando em sua totalidade, poderia ocorrer uma sobrecarga no fornecimento de energia elétrica e ocasionar novas quedas, já que o sistema foi restabelecido por uma linha alternativa.

Syllos disse ainda que as empresas e indústrias que possuem gerador continuam operando suas atividades normalmente, porém entre cerca de 350 indústrias e empresas de médio e grande porte de Sorocaba, menos de 10% possuem o equipamento.

Foi o caso da Dental Morelli, que fabrica peças para ortodontia e ortopedia funcional, e está localizada no Jardim Saira. A empresa informou que possui gerador e com isso a produção não foi afetada pelo apagão ocorrido na cidade.

Deixe seu Recado