SMetal

Imprensa

Produção

Alteração no calendário de compensação de dias é aprovada na Kanjiko

Negociada pelo SMetal para minimizar os impactos dos dias parados com a pandemia da Covid-19, proposta foi aprovada com 94,92% dos votos; votação garantiu ainda a antecipação da segunda parcela do PPR

Quarta-feira, 04 de Novembro de 2020 - 15:23 - Atualizado em 05/11/2020 09:59
Imprensa SMetal

kanjiko, montadora, fachada, Arquivo/ Foguinho Imprensa SMetal
A Kanjiko é fornecedora da montadora Toyota e fica na nova zona industrial Arquivo/ Foguinho Imprensa SMetal
Com 355 (94,92%) votos favoráveis, 11 (2,94%) contrários e 8 (2,14%) abstenções, foi aprovada a alteração no calendário de compensação de dias na Kanjiko, negociada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal). A assembleia eletrônica ficou disponível entre os dias 3 e 4 de novembro e, dos 545 trabalhadores com direito a voto, 374 (68,62%) participaram da votação.

Segundo o secretário geral do SMetal, Silvio Ferreira, que atualmente representa a entidade nas negociações com as sistemistas da Toyota, a proposta aprovada segue o calendário da montadora e foi negociado para atender ao volume de produção planejado e minimizar os impactos dos dias parados com a pandemia da Covid-19 – sem prejudicar o trabalhador.

Durante a votação, os trabalhadores aprovaram ainda a antecipação da segunda parcela do Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2020, que será paga em janeiro de 2021. A negociação do SMetal garantiu ainda que os metalúrgicos que ficaram afastados por auxílio doença por um determinado período terão direito a receber parte desses meses (avos) no pagamento.

O acordo de PPR na sistemista da Toyota foi aprovado no último mês de junho, também em assembleia eletrônica.

“Desde que a situação da doença começou a se agravar no Brasil, nos mantivemos ao lado dos trabalhadores para garantir a saúde, a renda e os empregos. Em cenários de crise, como o atual, o principal papel do Sindicato nas negociações é diminuir possíveis impactos na vida dos metalúrgicos”, assegura.

 

Deixe seu Recado