SMetal

Imprensa

Sessão ordinária

Alexandre Frota insulta munícipes e vereadores de Sorocaba

Quinta-feira, 02 de Agosto de 2018 - 16:07 - Atualizado em 02/08/2018 16:39
Imprensa SMetal

frota, sorocaba, Reprodução/Vídeo
Alexandre Frota compôs a mesa diretora da Câmara Municipal a convite do presidente do Legislativa e insultou os vereadoresReprodução/Vídeo
O ator Alexandre Frota, que assumiu um estupro publicamente em canal de TV, esteve em Sorocaba nesta quinta-feira, 2, a convite do vereador Rodrigo Manga (DEM) e insultou população e vereadores no plenário da Câmara.

A primeira Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Sorocaba, após o recesso de meio de ano, encerrou em meio ao tumulto gerado pela presença do ator, que está lançando um livro sobre o período em que foi dependente químico.

A sorocabana Denise Camargo, ativista dos movimentos feministas e negro, que estava assistindo à sessão, se manifestou após Manga convidar Frota para participar da mesa diretora e utilizar da tribuna. Ela ressaltou que o ator era machista, preconceituoso e não deveria estar na cidade, já que se autointitula estuprador.

As vereadoras Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (PSol) também reclamaram da presença de Frota e foram insultadas pelo mesmo. Frota mandou Iara Bernardi calar a boca e também desrespeitou o vereador Francisco França (PT) que, ao pedir para que Frota respeitasse a Casa Legislativa, teve como resposta: “respeite o cacete”, além de chamar França de bosta.

De acordo com a vereadora Iara Bernardi, nenhum vereador tinha sido comunicado sobre a presença de Frota na sessão ordinária. A princípio, Alexandre Frota faria palestra no Centro de Atenção ao Dependente Químico (CADQ), nesta quinta, às 19h, como foi divulgado por meio de releases à imprensa, enviado pelo chefe de assessoria de imprensa da Câmara e também assessor do CADQ, Eduardo Santinon.

 

Passado sujo

Alexandre Frota perdeu o processo conta a ex-ministra e ex-chefe da Secretaria de Política para as Mulheres no governo Dilma Rousseff, Eleonora Menicucci, que o acusou de fazer apologia ao estupro.

Ao perder o processo criticou a postura do juiz. “Terminou agora a audiência e, como a gente já esperava, eu fui julgado por um juiz ativista do movimento gay. O juiz não julgou com a cabeça, julgou com a bunda”, acusou por meio de vídeo divulgado nas redes sociais.

Para a advogada e presidenta do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), Emanuela Barros, foi lamentável o que ocorreu na sessão. Ela ressalta que há um procedimento para o uso da tribuna popular da Câmara e que é muito disputado e, para ela, não há fundamento Alexandre Frota ter voz nesse espaço e praticar ofensas. “Se ele ainda tivesse falado sobre questões de drogadição, mas além dos insultos, usou a tribuna para fazer acusações políticas”.

Emanuela ressalta que o Conselho da Mulher (CMDM) espera que Manga se manifeste sobre o ocorrido. "Como mulher e presidente do Conselho, repudio qualquer ação machista ou sexista. Damos todo nosso apoio à Denise Camargo que se manifestou na sessão denunciando o discurso de ódio de Alexandre Frota, que difama as mulheres e a cultura de matrizes africanas".

Para o diretor licenciado do SMetal, Izídio de Brito, que foi vereador por dois mandatos, o que ocorreu na sessão desta quinta-feira é inadmissível. “Um tremendo desrespeito à população da cidade, mas principalmente às mulheres. A Câmara deveria tomar providências porque Frota ofendeu os cidadãos e burlou os protocolos da casa legislativa, que tem como obrigação servir à população de Sorocaba”.

Izídio ainda destaca que “para as demandas da população, para o uso por parte dos trabalhadores, dos estudantes, há toda uma burocracia para a tribuna, mas para esse sujeito foi montado um circo”.

Deixe seu Recado