SMetal

Imprensa

Editorial

A revelação do golpe no seu bolso e no seu trabalho

O editorial da Folha Metalúrgica nº 894 fala da importância da população se unir à luta e participar de assembleias, protesto em defesa da democracia, do seu bolso, do desenvolvimento do país #ForaTemer

Quinta-feira, 24 de Maio de 2018 - 09:51 - Atualizado em 24/05/2018 12:24
Imprensa SMetal

golpe, combustível, temer, gasolina, Foguinho/Imprensa SMetal
O governo golpista de Temer anunciou, na semana passada, o quinto aumento nas refinarias em dois anos. Os caminhoneiros estão parados desde segunda, 21Foguinho/Imprensa SMetal
O que os sucessivos aumentos nos preços de combustíveis interferem na sua vida, além de ter de pagar mais ao abastecer? O governo golpista de Temer anunciou, na semana passada, o quinto aumento nas refinarias em dois anos.

Os caminhoneiros estão parados desde segunda, 21, em sete estados do país, em protesto ao novo reajuste nas bombas. Recorde dos recordes. A greve já afeta a produção industrial em Sorocaba. A Kanjiko e a Toyota, mandaram funcionários permanecerem em casa, nesta quarta, 23, por falta de peças para produção.

Ou seja, não é apenas o motorista/consumidor, que usa o carro para ir à faculdade ou para o trabalho, que está descontente. Mostra que a população terá de desembolsar muito mais para viver.

A logística do país é via rodovias. Os motoristas que transportam grãos como soja, arroz, feijão, diversos outros alimentos, peças e componentes e também as roupas, os eletroeletrônicos, etc. querem aumento nos fretes para cobrir o rombo.

Ou seja, o preço do arroz com feijão também encarece. As roupas ficam mais caras. As produções nas indústrias param. O custo de vida aumenta. É o que tem falado os dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) nas portas das fábricas.

O SMetal vem ressaltando o projeto do golpe antes, bem antes do impeachment de Dilma. Desde o lançamento do documento do então PMDB (hoje, MDB) “Ponte para o Futuro”, que já previa uma reforma trabalhista, com redução de direitos. Foi o que Temer seguiu à risca, incluindo também o congelamento de investimentos sociais por 20 anos.

Agora, o MDB acaba de lançar um novo documento, o “Encontro com o Futuro”. Se em dois anos conseguiram regredir o país em 20 anos, as novas propostas da elite brasileira com o capital financeiro deve ser a de enxugar mais ainda o Estado.
Esse é o projeto que inclui as privatizações dos serviços públicos e das grandes estatais, que ao invés de serem estruturadas são desmontadas para se justificar suas vendas a preços de banana. Como ocorre aqui em nossa terra rasgada (origem indígena do nome Sorocaba).

Crespo segue a cartilha neoliberal. Por isso, vai contra os trabalhadores e a população em geral para desmontar as unidades básicas de saúde, a unidade pré-hospitalar da zona norte, ameaça fechar a unidade da zona leste, para quê? Para poder passar o serviço público para uma empresa Oscip (Organização da Sociedade Civil) ou ONG.

É preciso, pelo menos, querer entender política, a micro e a macro. Não ser apático a ela. Como diria o teatrólogo e poeta Bertold Brecht, o analfabeto político é o pior analfabeto.

O momento é mais que oportuno para participar dos acontecimentos políticos, como uma assembleia, por exemplo. E das passeatas em defesa da democracia, do seu bolso, do desenvolvimento do país. Fora Temer! Fora a ditadura de Toga (dos juízes, principalmente daquele de Curitiba, apadrinhado pelos golpistas).

Deixe seu Recado