SMetal

Notícias

Reciclagem

Óleo residual de fritura terá 170 pontos de coleta em Sorocaba

Comércio, escolas e condomínios serão parceiros do programa do Ceadec

Quarta-feira, 16 de Maio de 2012 - Atualizado em 27/12/2016 11:59
Jornal Cruzeiro do Sul

,
Dispositivos de coleta de óleo serão distribuídos em condomínios, escolas e também no Sindicato dos Metalúrgicos
Apenas um litro de óleo é capaz de contaminar cerca de um milhão de litros de água. A maioria das pessoas já é consciente do prejuízo que causa descartar o óleo de cozinha na pia, porém, até o momento em Sorocaba a única alternativa para dar o destino correto ao produto é esperar a coleta da equipe de reciclagem. O problema é que esse serviço não chega ainda em todos os bairros.


Pensando na dificuldade que muitas famílias encontram para descartar o óleo de cozinha, o Centro de Estudos e Apoio ao Desenvolvimento, Emprego e Cidadania (Ceadec) lança na próxima sexta-feira, dia 18, o LEV, sigla para Local de Entrega Voluntária, por meio do programa Limpa Óleo. A entidade disponibilizará, a partir dessa data, 170 coletores de óleo residual de fritura em postos estratégicos como comércios, escolas e condomínios, como forma de colaborar com o descarte adequado do material.

A presidente do Ceadec, Rita de Cássia Gonçalves Viana, explica que o ideal é que as pessoas acondicionem o óleo em garrafas Pet de dois litros e que preferencialmente esperem que o recipiente esteja cheio para levar até o posto de coleta. Cada LEV tem capacidade para 25 garrafas Pet. Assim que a capacidade estiver completa, o material é retirado e conduzido para a Divisão Óleo da Rede Solidária Cata-Vida (situada na rua Chile, 401), onde passará por um processo de filtragem e clareamento. "O óleo é purificado e comercializado, sendo reaproveitado para a ração animal, de tão boa que é a qualidade", conta.

Outra utilidade do óleo é para a produção de combustível biodegradável, o biodiesel. "Temos uma usina de biodiesel que é subutilizada", revela. Conforme Rita Viana, a usina tem condição de produzir 6 mil litros por dia, porém até o momento conseguiu atingir 12 mil litros por mês. "A meta é que a partir de agora as coletas sejam intensificadas e espero que em um período de seis meses, com os 170 postos de coleta, a gente já consiga produzir mais 10 mil litros por mês", afirma.

O investimento, da ordem de R$ 198 mil, inclui ainda a realização de campanhas de orientação visando conscientizar os sorocabanos da importância do descarte adequado do óleo, a distribuição de materiais educativos e realização de palestras. "A expectativa é de atingirmos um grande número de pessoas. Estamos contando com o apoio de toda a população", diz.

Campanha específica

Rita afirma que a ideia de espalhar pela cidade pontos de coleta de óleo residual de fritura veio da necessidade de ter um local para que o descarte seja feito de forma apropriada. "Percebemos que a coleta do óleo não veio na mesma intensidade que a coleta seletiva e que ela precisava ser intensificada, que as pessoas se dessem conta de que o óleo também é prejudicial ao meio ambiente e resolvemos realizar uma campanha específica", afirma.

Para Rita, a maioria das pessoas já têm consciência da importância de descartar o óleo de forma adequada, porém não havia um local para isso. "Não pode ir para a pia da cozinha porque além de contaminar o rio, provoca o entupimento das tubulações. Também não pode ir com o lixo comum para o aterro sanitário porque contamina o solo, então o problema era o que fazer com o óleo. Por isso sentimos a necessidade de potencializar a coleta."

A economista Maria Beatriz Ribeiro de Melo conta que separa o óleo de cozinha de sua residência há seis anos. Conforme ela, no condomínio onde mora, o Granja Olga, o produto é retirado pela coleta seletiva. "Aqui no condomínio 95% dos moradores separam o material para reciclagem", afirma, consciente da importância para o meio ambiente.

Na rede de hipermercados Coop, uma estação de reciclagem que faz a coleta seletiva de papéis e plásticos, tem ajudado na captação do óleo. Clientes e moradores das proximidades costumam deixar os recipientes lotados e conforme o gerente Augusto César Joaquim, há ocasiões que os coletores precisam retirar o material duas vezes por dia. O Coop é, por enquanto, o único posto do LEV confirmado, isso porque já tem parceria com a rede de reciclagem.

A relação dos outros postos que irão receber os óleos ainda será divulgada, porém estabelecimentos e condomínios interessados em fazer a coleta podem entrar em contato com o Ceadec pelos telefones (15) 3018-2838 / 3232-3667 ou pelo email [email protected] O programa Limpa Óleo conta com o apoio do jornal Cruzeiro do Sul, do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e da Rede Cata-Vida.

Ceadec organiza catadores

Criado em 1999 com a missão de assessorar empreendimentos de economia solidária, o Centro de Estudos e Apoio ao Desenvolvimento, Emprego e Cidadania (Ceadec) é uma referência nacional na organização de catadores em cooperativas e do trabalho destas em rede. Contribuiu com a organização da Cooperativa de Reciclagem de Sorocaba (Coreso) e com dezenas de cooperativas de catadores na região e no Estado de São Paulo, além de ter assessorado na criação do Cata-Vida, a primeira rede solidária de cooperativas de catadores de materiais recicláveis do Brasil.

Destinação correta do óleo de fritura

- Ajuda na preservação e conservação da natureza;
- Mantém a oxigenação da água dos rios;
- Evita os entupimentos e problemas de drenagem;
- Impede a contaminação do solo, que se torna nocivo para plantas e animais;
- Garante uma diminuição do material passível de reciclagem que erroneamente vai para o aterro sanitário;
- Possibilita redução nos gastos com tratamento de esgoto, trazendo uma economia para os cofres públicos;
- Auxilia um programa socialmente inclusivo, que beneficia famílias que trabalham com a reciclagem.

 Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

,
Imagem

Deixe seu Recado